Chicago dispara rumo ao Oscar

A 20 dias da entrega do Oscar, o musical Chicago joga pesado em sua campanha pelos votos da Academia. O musical ganhou dois prêmios importantes no fim de semana, passou da marca de US$ 100 milhões nos cinemas dos Estados Unidos, reforçou sua campanha publicitária com diversos comerciais de TV e vai dar início a uma carreira de cult esta semana com sua primeira apresentação em esquema de "sing-along".O filme rendeu a Rob Marshall o importante prêmio do Directors Guild, uma espécie de sindicato de diretores de cinema e TV de Hollywood. O cineasta estreante desbancou Martin Scorsese, de Gangues de Nova York, e passou a ser o franco favorito ao Oscar de melhor diretor. Os Directors Guild Awards acertaram o vencedor do Oscar nada menos do que 49 vezes nos últimos 54 anos. O prêmio foi entregue no sábado.No domingo, Chicago foi eleito o melhor filme de 2002 nos Producers Guild Awards, o prêmio da poderosa associação de produtores de cinema e TV. Em 13 anos de premiação, 9 filmes levaram também a estatueta da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Com as duas vitórias no fim de semana, Chicago praticamente acabou com o favoritismo recente de O Pianista, de Roman Polanski, que ganhou na semana passada as principais categorias dos Baftas e dos Césars, os prêmios da Grã-Bretanha e da França.A consagração final do período pré-Oscar pode ser no próximo domingo, quando o Screen Actors Guild, o sindicato dos artistas, vai entregar seus prêmios. A cerimônia vai ser no domingo, com transmissão ao vivo pela TNT. Renée Zellweger concorre ao prêmio de melhor atriz tanto nos SAG Awards quanto no Oscar: o mesmo vale para Catherine Zeta-Jones e Queen Latifah na categoria de melhor atriz coadjuvante. Richard Gere disputa o SAG Award de melhor ator, mas foi esnobado no Oscar. No total, Chicago concorre a 13 Oscars.Este fim de semana o filme ficou em quinto lugar na bilheteria americana, com um faturamento de US$ 8,1 milhões de sexta-feira a domingo. No total, a fita já fez US$ 105,2 milhões. A arrecadação deve crescer muito nas próximas semanas, com a proximidade do Oscar e a intensificação de sua campanha de marketing. Nas últimas semanas, vários comerciais de TV começaram a ser exibidos: um mostra belas cenas do filme intercaladas por elogios da crítica e com o acompanhamento de uma canção apresentada por Renée Zellweger; o outro tem entrevistas com o elenco, que fala sobre a pertinência de um filme sobre culto a celebridades e corrupção na Justiça.Na quarta-feira, Chicago segue os passos de musicais cults como A Noviça Rebelde e Rocky Horror Picture Show. O filme ganha sua primeira apresentação "sing-along", em que o público canta junto os números musicais da fita. O evento no cineplex Chelsea Clearview Cinemas, em Manhattan, vai ser animado por drag queens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.