Chega aos cinemas do País o polêmico <i>Turistas</i>

O suspense juvenil Turistas, de John Stockwell, que estréia em todo o País nesta sexta-feira, 16, causou burburinho mesmo antes de chegar por aqui. Tudo porque a trama se passa em lugares paradisíacos como o Rio de Janeiro e o Nordeste, retratando o drama de jovens estrangeiros que são roubados, seqüestrados e torturados.Centenas de e-mails circularam na internet pedindo às pessoas que não fossem assistir ao filme, porque denegria a imagem do Brasil. Agora, que a produção finalmente chega às salas brasileiras, será possível descobrir se o boicote vai ou não ter adesão.No começo, Turistas dá a idéia de que vai mostrar o Brasil como um paraíso tropical, onde os jovens gringos vão encontrar belezas naturais, diversão e muita gente bronzeada e bonita.´Discurso político´Um grupo de jovens se aventura de ônibus pela costa brasileira em busca de diversão e muita praia. Depois de um contratempo, eles acabam conhecendo um grupo de ingleses que, como eles, estão meio perdidos.Os turistas acabam indo descansar num bar próximo a uma praia, onde decidem passar a noite. Quando acordam no dia seguinte, descobrem que alguém roubou suas bagagens, passaportes e dinheiro. Para piorar, fazem inimizade com moradores locais e confiam num sujeito chamado Kiko que os leva para uma casa, supostamente segura, no meio da mata.De seguro, o local não tem nada. Uma série de pistas dá a entender que algo de muito estranho acontece naquela casa. Quando a verdade vem à tona, Turistas tenta fazer um discurso político de que os latinos estariam cansados dos visitantes gringos e querem algo bem mais valioso do que o seu dinheiro: seus órgãos.Sem nomes famosos no elenco - que traz Melissa George, da série Alias -, simplista e trazendo algumas cenas violentas e grotescas, o filme só deve despertar alguma atenção de adolescentes interessados a compará-lo com o terror Albergue, que tem uma história similar mas se passa na Eslováquia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.