Chega a SP o cinema gigante

Um telão ao ar livre do tamanho de um prédio de seis andares. Lugares para receber até 1,5 mil pessoas. Shows depois do filme, restaurantes, pizzarias. Um projeto bancado pela empresa Telefônica, batizado Telefônica Open Air, que teve lotação esgotada durante sua temporada no Rio de Janeiro, no mês passado, chega a São Paulo no final da semana. A abertura no dia 7 será para convidados. Ao público estará disponível entre os dias 8 e 26, no Jockey Club de São Paulo. O preço único será de R$ 15 - estudantes e crianças pagarão meia-entrada. A platéia poderá assistir ao filme e curtir shows que começam sempre depois das projeções. A área de restaurantes terá as empresas Tostex, Piolla e Uma Refeitório. O Telecine, como fez no Rio de Janeiro, distribuirá pipocas gratuitamente na entrada. A lista de filmes escolhidos reserva desde exibições comerciais, como Homem Aranha e Harry Potter, a filmes exibidos recentemente na Mostra Internacional de Cinema BR, como Durval Discos. A produtora Virgínia Casé, da Byington & Casé, fala sobre a opção pelo ecletismo. "Tentamos despertar gostos variados. Isso funcinou muito bem na edição carioca." Os produtores também garantem que as chuvas, se vierem, não deverão atrapalhar as noites. As cadeiras deverão ser dispostas em locais cobertos. Virgínia diz ainda que existe a possibilidade de se estender o projeto para outras cidades. "Em nossas conversas com a Telefônica sentimos sempre a possibilidade de se continuar o projeto no ano que vem." A sessão de shows começará logo após o término do filme. Em um lounge montado próximo ao telão, haverá um pequeno palco para shows de black music. Entre as atrações que se revezarão todas as noites estarão Max de Castro, Wilson Simoninha e artistas mais desconhecidos como A Favela, Vitrola Stereophonica, Silvera e Anderson Soares. A organização do evento espera receber a cada noite um público estimado de 1,5 mil pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.