REUTERS/Lucas Jackson
REUTERS/Lucas Jackson

Cerimônia do Oscar voltará a ser realizada sem apresentador

Academia vai repetir o formato do ano passado, após o ator Kevin Hart ter desistido da função por denúncias de comportamento homofóbico

Redação, AFP

09 de janeiro de 2020 | 11h01

Pelo segundo ano consecutivo, a cerimônia de entrega do Oscar, principal prêmio da indústria cinematográfica americana, será realizada sem a participação de um apresentador-anfitrião, repetindo um formato que os organizadores acreditam ter ajudado a aumentar a audiência, informou nesta quarta-feira, 8, a emissora de televisão ABC. "Juntamente com a Academia, decidimos que não haverá um apresentador tradicional, repetindo para nós o que funcionou no ano passado", disse Karey Burke, presidente de entretenimento da ABC, em um evento em Pasadena, nos arredores de Los Angeles.

A cerimônia, que será realizada no dia 9 de fevereiro, terá "grandes nomes o entretenimento, grandes números musicais, comédia e poder estelar", acrescentou, citado pelo site especializado Deadline. Um porta-voz da ABC confirmou a decisão à AFP.

No ano passado, os organizadores do evento decidiram dispensar a figura do apresentador pela primeira vez 30 anos, após o ator Kevin Hart ter desistido da função quando foram revelados antigas postagens no Twitter de conotação homofóbica, pelas quais ele se recusou a se desculpar.

Ao fim da cerimônia de 2019, o programa registrou um aumento na audiência e foi classificado como um sucesso, apesar da primeira tentativa sem anfitrião ter sido um total fracasso, em 1989, lembrado pelo desastroso dueto musical de Rob Lowe e Branca de Neve. Relembre: 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Kevin Hart

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.