Cazaquistão desiste de denunciar ator de <i>Borat</i>

As autoridades do Cazaquistão não denunciarão o ator britânico Sasha Baron Cohen, que interpreta um excêntrico jornalista nativo do país na comédia Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América. Cohen venceu o Globo de Ouro na categoria melhor ator em comédia ou musical pela atuação no filme, que pode ganhar o Oscar de melhor roteiro adaptado."Não apresentamos nem temos previsto apresentar um processo contra o ator ou os produtores do filme", assegurou neste domingo Vladimir Nejoroshev, porta-voz do Parlamento Cazaque, citado por agências russas.Pouco após sua estréia mundial, dirigentes cazaques tinham ameaçado processar Cohen por ridicularizar a república centro-asiática e seus habitantes, que são mostrados como racistas, selvagens, anti-semitas, misóginos e incestuosos.O porta-voz acrescentou que várias delegações européias viajaram nas últimas semanas aos lugares que Borat mostra no longa e concluíram que "o Cazaquistão atual não guarda nenhuma similitude com o mostrado no filme".O presidente cazaque, Nursultan Nazarbayev, assegurou recentemente que estava claro que Cohen nunca tinha estado no Cazaquistão. "O filme foi rodado em um povoado da Romênia e o papel dos cazaques é interpretado por ciganos", acrescentou.O vice-ministro de Assuntos Exteriores do Cazaquistão, Rajat Aliv, chegou a convidar Cohen para uma visita ao país para convencê-lo de que os cazaques são tão normais como os outros povos. No filme, Borat (Cohen), que apresenta o programa Da Ali G Show, é enviado aos Estados Unidos para uma série de reportagens sobre o modo de vida do país. O longa, que tem participação da atriz Pamela Anderson e é dirigido por Larry Charles, arrecadou US$ 26,4 milhões em seu fim de semana de estréia nos Estados Unidos, surpreendentemente liderando a bilheteria do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.