Catástrofe do ciclone vira tema de filme em Mianmar

Os governantes militares de Mianmar vêmsendo criticados pela demora em reagir à catástrofe provocadapelo ciclone Nargis, mas o mesmo não pode ser dito da pequenaindústria cinematográfica do país, que já está ocupadaconvertendo a tempestade devastadora em mito. Numa rua poeirenta ao lado do Parque do Povo, no centro deYangun, ainda recoberta de árvores derrubadas pelo ciclone de 2de maio, um ator dança na calçada, vestido de deus. Uma folhade palmeira está presa a sua testa por uma faixa. "Estamos contando a história do ciclone e do que os deusesfizeram para causar essa tempestade terrível", disse o diretorassistente Li Gong. O filme está sendo feito por uma empresa privada, mas paraa televisão de Mianmar, rigidamente controlada pelo governomilitar deste país que é um dos mais isolados do mundo. "Vamos contar como as ações de um deus podem levarsofrimento ao povo", disse Li Gong. As superstições são muito fortes entre a população deMianmar, predominantemente budista, e todos, desde o chefe deEstado, general Than Shwe, até feirantes em Yangun, dependemdos conselhos de videntes e astrólogos para planejar suasvidas. De acordo com mitos relatados por taxistas em Yangun, ociclone Nargis -- que deixou 134 mil mortos ou desaparecidos eoutros 2,4 milhões de pessoas cuja sobrevivência está ameaçada-- pode ter sido causado pela insatisfação dos deuses com os 46anos de governo militar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.