"Castelo Rá-Tim-Bum" ganha versão em DVD

Castelo Rá-Tim-Bum, de Cao Hamburguer, é um bem-sucedido caso de transposição de uma série de TV para o cinema. O programa infantil, tido como exemplar por educadores e consumidores, chegou à tela grande com um grau de sofisticação que não tinha na televisão. Efeitos especiais, um certo tom gótico e roteiro inteligente são os pontos fortes da versão.A história traz o garoto Nino (desta vez interpretado por Diegho Bueno) enfrentando a ganância da bruxa Losângela (uma hilária Marieta Severo) para salvar seus tios, vividos por Rosi Campos e Sérgio Mamberti. A luta do bem contra o mal é inevitável nesse tipo de história infantil. Além disso, o Castelo, versão cinema, dá seguimento à sua vocação didática. Assim, informações científicas, tais como o alinhamento de planetas, são colocadas como partes integrantes da trama. Não parece forçado - e não é; esse tipo de dado deveria fazer parte do cotidiano das pessoas.Há também um recado de fundo, que vai além da divulgação científica. Os vilões são experts na especulação imobiliária, uma das pragas de São Paulo, como de outras cidades grandes. A bruxa, Losângela, não tem esse nome por acaso. Lembra Los Angeles, sede de uma indústria cinematográfica de vocação monopolista. A turma do Castelo vai na direção contrária. Tanto Victor (Mamberti) como Morgana (Rosi) são pessoas "do bem", da diversidade. São diferentes e convivem com gente que não se parece nem um pouco com eles. Funcionam como exemplo de tolerância num mundo que tende ao preconceito.Na tela pequena, Castelo deve perder parte do seu impacto visual. Marcelo Durst, fotógrafo de recursos, caprichou numa leitura expressionista da série, o que pode ter causado certa dificuldade para crianças acostumadas às cores da TV. O visual suntuoso encontrou sua contrapartida na montagem esperta assinada por Michael Rumann, profissional dotado de senso rítmico excelente. Tudo isso dá vivacidade ao filme.Castelo Rá-Tim-Bum - Brasil, 1999. Dir. de Cao Hamburguer, com Rosi Campos, Marieta Severo, Sérgio Mamberti. Columbia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.