Casseta & Planeta leva Organizações Tabajara para o cinema

Elas estão sob suspeita - asOrganizações Tabajara, que formam o maior conglomerado nãomonopolista do mundo. Onde isso poderia ocorrer? Só num filme doCasseta & Planeta, claro. Estréia nesta sexta-feira a nova produção dogrupo de humoristas mais anárquico da TV brasileira.Inicialmente, deveria se chamar só "Seus Problemas Acabaram",mas aí alguém deve ter se dado conta de que ele serve para ummilhão de filmes e acrescentou o Casseta & Planeta. Agora, sim,você sabe do que se trata. O julgamento das OrganizaçõesTabajara começa em 180 salas de todo o País. Procure seu lugarno tribunal, isto é, na sala, mais próxima de você. A diversão égarantida. Os problemas, na verdade, estão começando, diz Hélio DeLa Peña e logo ele, rindo, se corrige - "Não; começaram quando agente decidiu fazer o filme. Agora espero que esteja começando asolução." Fazer um filme no Brasil é sempre difícil, mascolocá-lo no mercado talvez seja uma dificuldade maior ainda.Bem ou mal, existem as leis de patrocínio que possibilitam arealização dos filmes. O problema é que o cinema brasileiro éestrangeiro na própria casa. O mercado, no País, é formatadopara a produção de Hollywood. Nem a marca da Globo, associada aum filme, consegue garantir que ele fará sucesso. O primeiro filme dos Casseta, "A Taça do Mundo É Nossa",fez cerca de 800 mil espectadores nas salas. É um númeroexpressivo - só para comparar, este ano, tirando-se o campeão"Se Eu Fosse Você", de Daniel Filho, todos os demais filmesjuntos não devem ter dado isso -, mas, face à exposição do grupona Globo, o resultado foi considerado um fracasso. De La Peña eo próprio diretor José Lavigne explicam. "A gente quis fazer ofilme diferente do nosso trabalho na TV", diz De La Peña. Opúblico se ressentiu - no segundo, Lavigne esclarece, "voltamosao espírito do programa". Que humor é esse? É o escracho, a paródia. A arte, nadasutil do Casseta & Planeta, consiste em fazer humor em cima dosassuntos do cotidiano. Pode ser a política, o esporte, a novela.Se está em sintonia com o público, o grupo se apropria eescracha. Foram 18 meses escrevendo o roteiro de "Casseta &Planeta - Seus Problemas Acabaram". Há, como se diz, uma trama eum formato, o do filme de tribunal, muito freqüente na produçãode Hollywood. "Na TV, a gente volta e meia tem um convidado. Nofilme, usamos o advogado idealista do Murilo Benício paraamarrar os esquetes." Pois o humor de "Casseta & Planeta - SeusProblemas Acabaram" é episódico, bebendo em várias fontes. Vocêvai identificar elementos de "Trainspotting - Sem Limite" (obanheiro mais podre da história do cinema), "American Pie" (asvárias sugestões de sexo) e "Cidade de Deus". Em busca de evidências que possam servir no tribunal,Maria Paula, que assessora o advogado Murilo, pergunta e elaprópria responde - "Quem sabe das coisas? Os taxistas." Ambospegam o primeiro táxi e o sujeito diz que, se o filme é nacional tem de ter problema social. E ruma para a "Cidade de Deus", oque possibilita cenas hilariantes que parodiam o filme famoso deFernando Meirelles. Nada, em "Seus Problemas Acabaram", foge àsidéias associadas à marca Casseta & Planeta. O humor éescatológico, com freqüência grosseiro, mas não é assim que opúblico gosta na TV?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.