Alex Tabak/Pool via Reuters
Alex Tabak/Pool via Reuters

Caso Alec Baldwin: fornecedor de balas é processado

Seth Kenney teria colocado cartuchos reais na filmagem de 'rust', que resultou na morte de diretora de fotografia

AFP, Agência

13 de janeiro de 2022 | 07h56

A responsável pelas armas do filme Rust, em cujo set de filmagem morreu uma diretora de fotografia por um disparo acidental do ator Alec Baldwin, acusou, na quarta, 12, o cuidador de munições do longa de ter deixado balas reais em meio a cartuchos fictícios.

Hannah Gutierrez-Reed era a armeira do filme rodado no Novo México, quando a diretora de fotografia Halyna Hutchins recebeu um tiro mortal, em 21 de outubro do ano passado.

O disparo veio de uma pistola entregue a Baldwin, que foi apresentada como inofensiva e usada durante uma cena.

Conforme as regras de segurança no cinema, as balas reais estão totalmente proibidas em set de filmagem.

Em sua ação civil movida em juízo, Reed acusa o fornecedor, Seth Kenney, de ter entregue "munição que foi apresentada erroneamente como fictícia", inerte e sem pólvora, "quando continha munição fictícia e real".

Segundo a denúncia, a polícia descobriu após o incidente "sete balas aparentemente reais", distribuídas em uma caixa de cartuchos e cartucheiras que serviam de acessórios para os atores.

Para a jovem armeira, a negligência do fornecedor "levou à introdução de balas reais no set, o que resultou em uma catástrofe previsível". A indenização exigida na ação não é conhecida.

Kenney disse às autoridades que poderia ter vendido munição artesanal para a produção do filme - talvez com elementos reciclados - e cujo logotipo corresponde ao do cartucho mortal. Mas ele excluiu tal possibilidade, informa o canal ABC.

Até agora ninguém foi preso, mas a justiça não exclui iniciar um processo criminal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.