Carmem Maura está em "A Comunidade"

Fãs de trash estão com tudo: hádois lançamentos sob medida para eles nesta sexta-feira. Um é onovo filme de Alex de la Iglesia, A Comunidade. O outro éO Império (do Besteirol) Contra-Ataca, o novo Kevin Smith.A Comunidade traz Carmen Maura, atriz que já foi musa dePedro Almodóvar, mas rompeu com o grande diretor, sendosubstituída por Marisa Paredes no universo do autor manchego queé hoje um dos gênios do cinema. Carmen podia andar por baixo,mas não tem do que se queixar. Por A Comunidade, ela ganhouo prêmio de melhor atriz no Festival de San Sebastián, há doisanos. Não representa pouco: em 2000, o vencedor da Concha deOuro, prêmio maior do festival, foi La Perdición de LosHombres, o grande filme de Arturo Ripstein que também saiuvitorioso do Festival de Gramado, no sábado passado. A atriz deRipstein, Patricia Reyes Spindola, é maravilhosa e tambémpoderia ter sido premiada. De la Iglesia não esconde que se inspirou em filmes comoJogo Mortal, de Joseph L. Mankiewicz, e O Inquilino, deRoman Polanski. Mankiewicz, o mestre do diálogo brilhante, foium dos maiores diretores da história de Hollywood. Polanski, emseus melhores momentos, sabe, como poucos, trabalhar com acomplexidade das mentes enfermas ou perturbadas. São autores quefazem seu cinema a sério, mesmo quando recorrem ao humor(negro). De la Iglesia é outra coisa. Seu território é maistrash, como atestam os títulos de seus filmes anteriores:Acción Mutante, El Dia de la Bestia, Perdita Durangoe Muertos de Risa. Alguns são conhecidos do público daMostra Internacional de Cinema São Paulo. Carmen Maura faz uma corretora que descobre 300 milhõesde pesetas na casa que se esforça para vender. Os vizinhosdescobrem e querem se apropriar da fortuna. De la Iglesia gostadesse tipo de história que tem crime, mistério, tesouroescondido e personagens bizarros que habitam um só cenário. Suaidéia inicial era fazer o filme num só andar, mas, como ele diz,saímos (o roteirista Jorge Guerricaechevarría) e eu da escadae subimos ao telhado. De la Iglesia define A Comunidadecomo um filme de terror vicinal e acrescenta: O humor negrodeixa espaço para o suspense, logo para o terror e, finalmente,para a ação sem nenhum escrúpulo. Pode não valer grande coisa,mas com a arte de Carmen Maura fica divertido.Serviço - A Comunidade(La Comunidad) - Humor Negro. Dir. Alex deLa Iglesia. Esp/2000. Dur. 107 min. 14 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.