Cannes surpreende e premia "Elephant"

O diretor Gus Van Sant saiu vitorioso da 56ª edição do Festival de Cannes, o principal festival cinematográfico em todo o mundo. O filme Elephant, que retrata a violência escolar nos Estados Unidos, foi escolhido para levar a Palma de Ouro, o prêmio mais importante do festival, e o diretor Van Sant ganhou como melhor diretor.O filme Elephant, do mesmo diretor de Drugstore Cowboy e do remake de Psicose, concorria com estréias barulhentas como Dogville, de Lars Von Trier, com Nicole Kidman, Pai e Filho, de Sokurov e Carandiru, de Hector Babenco, entre outros.O ganhador da Palma de Ouro, no entanto, não foi aclamado pelo público. Quando estreou no festival, no domingo passado, foi recebido com frieza pela platéia. O tema do filme é o massacre de Columbine, quando dois adolescentes arrumaram armas e trucidaram vários colegas e funcionários da escola onde estudavam - tema que rendeu o Oscar de documentário a Tiros em Columbine, de Michael Moore.Cannes 2003Palma de Ouro: Elephant, de Gus Van SantGrande Prêmio: Uzak, de Nuri Bilge CeylanPrêmio do Júri: Às Cinco da Tarde, de Samira MakhmalbafDiretor: Gus Van SantAtor: Muzaffer Ozdemir e Mehmet Emin ToprakAtriz: Marie-Josee CrozeRoteiro: A Invasão dos BárbarosCamera d´Or: ReconstruçãoCurta: Cracker BagA decepção do público talvez venha tanto do excesso de expectativa como da frieza com que Van Sant desenvolve seu tema. Ele começa por apresentar seus personagens em longos planos-seqüência, com uma estrutura narrativa circular, em que a mesma cena é reevocada de vários pontos de vista. Não há construção psicológica dos personagens ou ela é superficial. Em entrevista, Van Sant diz que não procurou explicar a motivação do crime. "Deixei essa interpretação a cargo do espectador." Vem daí o título estranho: ele remete a uma antiga história de quatro cegos que apalpam um elefante e o descrevem de quatro modos diferentes.Premiados - Distante, filme turco do diretor Nuri Bilge Ceylan, ficou com o Grande Prêmio o Júri, considerado o segundo lugar do festival. Distante levou também o prêmio de melhor ator, para Muzaffer Ozdemir e Mehmet Emin Toprak. Toprak morreu em uma cidente de carro logo após saber que o filme em que atuava fora classificado para Cannes. Ozdemir é arquiteto profissional e não ator.O prêmio de melhor roteiro foi para Denys Arcand, do filme A Invasão dos Bárbaros. Marie-Josee Croze, também de A Invasão dos Bárbaros, foi escolhida a melhor atriz. O prêmio do júri foi para Às Cinco da Tarde, da iraniana Samira Makhmalbaf. O filme - cujo título é inspirado em um poema de García Lorca, é sobre uma afegã que sonha em se tornar a primeira mulher a assumir a presidência de seu país.Reconstrução, do dinamarquês Christoffer Boe, venceu o Camera d´Or, um prêmio de melhor filme para diretor debutantes. O prêmio para melhor curta-metragem foi para o australiano Glendyn Ivin por Cracker Bag.Brasil - O Brasil, que concorria com o filme Carandiru, de Hector Babenco, e com os atores Clara Choveaux e Thiago Teles, pelo filme Tiresia, ficou de fora da premiação.

Agencia Estado,

25 de maio de 2003 | 15h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.