REUTERS/Jean-Paul Pelissier
REUTERS/Jean-Paul Pelissier

Cannes proíbe a Netflix na disputa pela Palma de Ouro deste ano

Organização do festival proibiu também as selfies no tapete vermelho

ANSA

26 Março 2018 | 16h05

O diretor artístico do Festival de Cannes, Thierry Frémaux, anunciou que o serviço de streaming Netflix não poderá concorrer na edição de 2018 da mostra, que acontecerá entre 8 e 19 de maio.

No entanto, de acordo com a revista Hollywood Reporter, ainda que a empresa não dispute a Palma de Ouro, poderá exibir suas produções em Cannes. A proibição acontece porque a plataforma não acatou o pedido para lançar os longa-metragens concorrentes nos cinemas franceses - um pré-requisito para participar do festival.

++ Festival de Cannes proíbe selfies no tapete vermelho

"Ano passado, quando selecionamos dois filmes da Netflix [Okja e Os Meyerowitz], esperávamos poder convencer a companhia a lançá-los no cinema. Mas fui presunçoso: eles negaram", explicou Frémaux.

"As pessoas da Netflix amaram o tapete vermelho e gostariam de estar presentes com outros filmes, mas precisam entender que sua intransigência e seu modelo são opostos ao nosso", acrescentou o diretor.

Ainda assim, Frémaux disse que reavaliará, para as próximas edições, em qual categoria os filmes de streaming se encaixam.    "Temos que levar em conta a existência desses poderosos novos participantes do mercado: Amazon, Netflix e, talvez, em breve, a Apple", declarou.

Dentre os figurões de Hollywood, o diretor Steven Spielberg concorda com a medida imposta por Cannes. Ele declarou recentemente que os filmes da Netflix, assim como os da HBO, podem vencer um Emmy - ou seja, um prêmio televisivo -, mas não um Oscar.

Outra exigência estabelecida pela organização de Cannes é o fim das "selfies" no tapete vermelho. Para Frémaux, "é uma prática extremamente ridícula e grotesca", além de atrapalhar a passagem das pessoas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.