Cannes homenageia Akira Kurosawa

No momento em que os paulistanos podem assistir a uma retrospectiva do diretor Kon Ichikawa, promovida pela Fundação Japão, nada mais interessante do que destacar algo importante que ocorre aqui em Cannes, no quadro do 55.º Festival International du Film. O diretor geral do evento, Gilles Jacob, e o diretor de programação Thierry Frémaux resolveram homenagear o mestre Akira Kurosawa, o chamado "Imperador" do cinema japonês.O prédio do palais está ornamentado com reproduções, algumas gigantescas, dos desenhos que o próprio Kurosawa fazia e que integravam o storyboard de seus filmes. Principalmente para seus últimos trabalhos, ele realizava minuciosos desenhos de cada cena, prevendo o tipo de plano e de cor que pretendia colocar na tela. No hall da Sala Claude Debussy, onde se realizam as sessões para a imprensa, estão os desenhos originais, inclusive os do filme que Kurosawa deixou inacabado. Na verdade, o mestre não chegou a rodar nenhuma cena de O Mar por Testemunha, mas os desenhos permitem ao cinéfilo imaginar a beleza que esse filme poderia ter sido, se a morte não tivesse interrompido os planos do diretor.Outros diretores importantes estão sendo homenageados pelo 55.º Festival de Cannes. Para comemorar seus 50 anos, a revista Positif, uma das bíblias dos cinéfilos, rival de Cahiers du Cinéma, trouxe aqui a Cannes ninguém menos do que Alain Resnais. Está velhinho, com a aparência delicada de quem andou muito doente. Resnais, que revolucionou o cinema com Hiroshima, Meu Amor e O Ano Passado em Marienbad, veio mostrar pessoalmente seu filme Eu Te Amo, Eu Te Amo. Ele deveria ter sido exibido no festival de 1968, interrompido por causa dos acontecimentos de maio, em Paris, naquele ano mítico. Resnais foi muito aplaudido e o filme, que sempre teve a fama de ser uma de suas obras menores, foi redescoberto como obra-prima. Para completar, Cannes dedicou uma tarde de gala à exibição da versão restaurada de Playtime, de Jacques Tati.

Agencia Estado,

21 de maio de 2002 | 15h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.