Cannes exibe "Terra em Transe" em cópia restaurada

Há 40 anos, Cannes divulgou ao mundo o gênio do diretor Glauber Rocha, com a seleção da obra-prima Deus e o Diabo na Terra do Sol. Este ano, outra obra-prima do cineasta baiano, morto em 1981, é cartaz no festival. Terra em Transe, de 1967, que chegou a ter sua exibição no mercado internacional barrada pela ditadura militar, por "denegrir a imagem do Brasil", vai passar em Cannes em cópia restaurada. A sessão integra mostra de clássicos recuperados, com direito a premiação do melhor restauro.Glauber também é tema de outro filme selecionado pelo Festival de Cannes, fora de competição. Trata-se de Glauber, o Filme - Labirinto do Brasil. O documentário alinhava depoimentos e cenas do velório e enterro do cineasta. Foi o vencedor dos prêmios de público e crítica do Festival de Brasília.Seguindo os passos do pai, Eryk Rocha também estará em Cannes. O diretor de Rocha que Voa concorre ao prêmio de curta-metragem do festival com uma parceria com o artista plástico Tunga, Quimera. Na mostra principal, o candidato brasileiro é Diários de Motocicleta, de Walter Salles, que disputa a Palma de Ouro com outros 17 concorrentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.