Cameron Diaz e Jason Segel vivem casal em 'Sex Tape'

Namorados têm vídeo íntimo compartilhado acidentalmente

Fernanda Brambilla - ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2014 | 19h37

CIDADE DO MÉXICO - Cameron Diaz parece não saber o sex appeal que tem. A atriz californiana viu estarrecida seu corpo virar o centro da atenção e das discussões em torno de Sex Tape: Perdido na Nuvem, filme que estreia no Brasil no dia 21 de agosto. Ou melhor dizendo: seu derrière. Para falar da comédia que ela estrela ao lado de Jason Segel (o Marshall da série de TV How I Met Your Mother), os dois atores conversaram com exclusividade com o Estadão na Cidade do México, e parece só haver um tema a discutir, uma máxima que se sobrepõe a qualquer história: prestes a completar 42 anos, a loira faz sua primeira cena de nudez.

"Eu jamais imaginei que fossem dar tanta importância ao meu bumbum. E me perguntam isso direto, até se eu usei maquiagem. É impressionante", desabafa Cameron, com cara de incrédula e risada meio nervosa. "Acho que foi muita inocência da minha parte não prever, né?". Algo difícil de acreditar se tratando de uma atriz sempre associada ao físico impecável - que ela mantém, por sinal. Ao seu lado, Segel parece concordar, e lhe aponta um dedo em riste, indignado. "É sério, Cameron? Você vai mentir para a jornalista? Você realmente não pensou que o seu bumbum seria importante?".

Diante da impassiva da atriz, Segel pede licença para uma breve aula de showbiz. "Bem, Cameron, chegou a hora de você entender de uma vez por todas que, no mundo em que vivemos, as pessoas se importam com bumbum. Elas amam bumbum. Há pessoas que, talvez você não acredite, vivem de seus bumbuns. Músicas foram escritas, é uma indústria. É um mundo do bumbum lá fora."

À primeira vista, Cameron até pode soar como a representação ideal do clichê da loira desligada do mundo, mas seu sorriso e seu discurso simplista não devem ser subestimados. A atriz é a sexta mais bem paga de Hollywood (segundo levantamento da Forbes este ano), com US$ 18 milhões ou R$ 40 milhões. Há exatos 20 anos, a então modelo internacional fazia sua primeira audição para um papel, ao lado de Jim Carrey em "O Máskara". "Eu jamais poderia imaginar que aquilo me levaria a onde estou hoje. Eu não tinha a menor ideia do que estava fazendo lá, a verdade é essa", lembra Cameron.

Começar como mocinha deu certo e ela não parou de fazer filmes desde então; de dubladora de animações como a Princesa Fiona, de Shrek, a blockbusters de ação como "As Panteras"  , Cameron Diaz é mais lembrada por comédias como "O Casamento de Meu Melhor Amigo" e "Quem Vai Ficar com Mary?",  mas também foi dirigida por cineastas como Martin Scorsese ("Gangues de Nova York", em 2002) e Spike Jonze ("Quero ser John Malkovich", em 1999).

"Tenho feito filmes sem parar por 20 anos e isso é bastante coisa! E nesse tempo eu sempre segui uma meta, a de nunca parar para pensar: 'Isso é o que eu quero, essa é quem eu sou,' mas focar no presente e dar o meu melhor a cada oportunidade", comenta a atriz. "Até porque eu não sei o que vai acontecer comigo no futuro, por quanto tempo estarei fazendo isso, e não me preocupa."

Tirar a roupa, então, foi apenas parte do jogo. "Acho que se eu topei fazer o filme, preciso me dispor a isso. Não se tratava de vaidade, era para ser engraçado. E estou em um momento da vida em que me sinto em paz com meu corpo."

E, justiça seja feita, em Sex Tape, a premissa da nudez serve muito mais à comédia do que ao erotismo. Cameron e Segel interpretam Annie e Jay, um casal com 10 anos de matrimônio, dois filhos e uma rotina atribulada em que o sexo entrou em extinção. Quando têm uma noite sozinhos em casa, então, decidem fazer um filme íntimo, em que se propõem a realizar dezenas de posições sexuais, com fantasias, acessórios, comida etc. O grande problema é que a gravação do vídeo é feita no tablet de Jay, que está sincronizado a outros aparelhos via acesso remoto (pela "nuvem", ou cloud computing). Ou seja, na manhã seguinte, os pais, amigos, o carteiro e até o chefe de Annie têm uma cópia em seus portáteis.

"O vídeo é uma prova de amor, eles estão fazendo isso pela relação deles. E quero registrar aqui minha bunda aparece por um segundo", continua Cameron. Mas Segel não perdoa. "Um pouquinho mais, Cameron, acredite, eu contei."

Brincadeiras à parte, Cameron dispensou dublê e os dois apelaram à fita dupla-face - um recurso para "cobrir as partes", como ela define. Em teoria, o diretor Jake Kasdan tinha a seu favor o bom entrosamento dos protagonistas, que vinham de um trabalho prévio com ele, "Professora Sem Classe", de 2011. Na prática, ele esvaziou o set e, com a câmera em punho, dirigiu as passagens para deixar os atores mais confortáveis. "A ideia é ótima, mas era ridículo vê-lo em cima da gente, literalmente, falando coisas como 'Mais rápido!', 'Um pouco para a esquerda!', conta Segel.

O ator de 34 anos, que assina o roteiro, foi quem teve a ideia de retomar a parceria com Cameron. "Eu sabia que não ficaria tão bom se não fosse com ela. Porque além de linda ela é realmente engraçada", conta Segel. Para ele, porém, tirar a roupa trouxe memórias não muito felizes, de quando precisou fazê-lo em "Ressaca de Amor"(2008), dirigido e estrelado por ele. "Foi uma experiência terrível, tive que beber muito para esquecer", riu. Cameron o consola: "Ei, agora estamos nisso juntos e os dois ficamos pelados. Foi difícil para os dois."  Mas Segel, que encarou dieta e exercícios para perder peso para o filme, não se convence. "Ah Cameron, você sabe que não é assim. Eu tenho uma cena em que fico de ponta-cabeça, pelado..."

Em Sex Tape, a busca desenfreada pelos tablets que contêm o vídeo proibido eleva o tom da comédia ao escracho e ao nonsense, com uma participação peculiar de Rob Lowe como o chefe de Annie. Lowe, ironicamente, passou por uma situação similar há alguns anos, quando um vídeo íntimo do ator vazou na internet.

Só resta perguntar, então, se Jason Segel e Cameron Diaz acreditam que todo o esforço valeu a pena. "Eu acho que estou ótimo, você não acha?", ri. Cameron surpreende: "Eu nunca tinha visto o meu bumbum desse ângulo, então fiquei aliviada, porque achei que ele é bem proporcional, digo, as partes do meu bumbum são proporcionais. Afinal, você sabe que algumas pessoas não têm um bumbum proporcional ao resto do corpo e isso pode ser bastante estranho..."

Segel, uma última vez, a interrompe. "Cameron, é sério? Meu Deus, você está fazendo uma jornalista escutar você falar da proporção da sua bunda, Cameron?! Francamente..."

Entrevista com Cameron Diaz

Como é a sua relação pessoal com tecnologia? O que faria se um vídeo seu vazasse assim?

Isso jamais aconteceria comigo, porque eu simplesmente não me arrisco. Nuvem? Eu não participo dessas coisas, nunca, jamais. A tecnologia me odeia! É verdade, ela é contra mim, então o jeito é interagir o mínimo possível, ficar minimamente conectada ao mundo.

Você lançou um livro no ano passado, The Body Book, em que fala sobre o corpo e discute itens bem específicos como urina, suor... por que quis compartilhar isso?

Acho que cada mulher tem uma jornada com seu próprio corpo ao longo dos anos. Seu corpo é uma entidade e entendê-lo é algo muito complexo e que vai mudando ao longo dos anos. O que você come, o seu suor, sua urina, o seu corpo reage a cada uma dessas coisas e é imprescindível prestar atenção a esses sinais. Acho que é isso que o livro propõe, ajuda a entender.

Entrevista com Ping Jason Segel

Você assina o roteiro desse filme e além de ator tem projetos como escritor. O que mais te interessa como autor?

Eu me considero um observador do tom da vida e o que eu mais admiro é essa mistura entre tristeza e comédia, doçura e escárnio e acho que todo mundo se relaciona com isso. Uma coisa pessoal minha é que eu me aborreço facilmente, então sempre tento dar uma ênfase nos altos e baixos, ainda que isso se transforme em acertos e erros.

A série How I Met Your Mother tinha uma fórmula simples e mesmo assim teve nove temporadas, sucesso ao redor do mundo, uma legião de fãs. Você imaginava esse fenômeno quando começaram?

Eu sempre acreditei muito na série porque sou muito atento à televisão e à comédia desde muito tempo atrás. Quando fizemos a primeira temporada, muita gente nos dizia que o sitcom estava morto, que era uma fórmula esgotada. E nova anos depois estávamos bem, porque os temas continuam sendo relevantes. Hoje 'The Big Bang Theory" é a série de maior sucesso, e isso prova que a TV está constantemente mudando, mas há coisas que permanecem.

Antes disso, você esteve em Freaks and Geeks nos anos 90, uma série que revelou um elenco e tanto na comédia...

Fizemos uma temporada e o show foi cancelado, mas Seth Rogen, James Franco e eu continuamos levando esse tipo de humor que temos em comum a outros projetos e a fazer filmes de uma comédia muito similar e têm dado muito certo. Nós forçamos isso a se tornar moda.

SEX TAPE: PERDIDO NA NUVEM

Direção: Jake Kasdan.

Gênero: Comédia (EUA/ 2014, 94 min.).

Classificação: 16 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Cameron DiazJason SegelSex Tapecinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.