Cameron Diaz depõe sobre fotos dela nua

Rindo sobre sua carreira de modelo, a atriz Cameron Diaz depôs hoje na corte criminal no julgamento que envolve fotos de topless tiradas dela antes de se tornar famosa.Cameron descreveu como iniciou sua carreira de modelo e foi para o exterior quando tinha 16 anos. "Eu tinha quatro fotos no meu book e fui para o Japão. Não funcionou", ela disse, brincando. A atriz testemunhou no julgamento do fotógrafo John Rutter, que, em 2003, tentou vender-lhe de volta fotos dela de topless, enquanto ela promovia a seqüência de As Panteras. Rutter é acusado de roubo, perjúrio e falsificação. Se condenado, ele pode ficar até seis anos na prisão.Na quarta-feira, o promotor David Walgren disse ao júri em sua declaração de abertura que Rutter, de 42 anos, esperou que a carreira de Cameron estourasse antes de confrontá-las com as fotos tiradas em maio de 1992. Walgren disse que compradores poderiam ter pagado a Rutter até US$ 5 milhões, mas que ele pediu a Cameron US$ 3,5 milhões pelas fotos.Promotores disseram que Rutter usou um formulário de permissão de divulgação de fotos falsificado para pressionar a atriz. O advogado de defesa Mark Werksman descreveu Cameron como uma atriz envergonhada de seu passado, capaz de persuadir o promotor por seu status de celebridade."Este é o caso de uma rica e poderosa estrela de cinema que, através da promotoria, quer esmagar e destruir John Rutter", disse Werksman. Rutter foi até ela em primeiro lugar "esperando fazer negócio com ela", ele disse. "John Rutter tinha todo o direito de vender aquelas fotografias a qualquer pessoa, inclusive ele poderia vendê-las de volta a Cameron Diaz", disse Werksman fora da corte. "E se o formulário de divulgação era falso, ele não sabia, e achava que era verdadeiro". Um juiz proibiu Rutter de distribuir as fotos. Cameron também processo Rutter na corte civil. Este caso ainda está pendente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.