Budistas reprovam nova aventura de 007

A mais importante ordem budista da Coréia do Sul está acusando o novo filme de James Bond (007 - Um Novo Dia para Morrer) de profanar sua religião e incitar o conflito entre coreanos. A ordem conhecida como Jogye fez hoje um protesto público contra a fita, em que o agente (Pierce Brosnan) aparece numa cena tórrida com uma mulher dentro de um templo budista. "Isso é uma desfeita contra o budismo (a mais difundida religião no país), que tem purificado a cultura e a mente da humanidade por 2,7 mil anos", diz a declaração. Acrescenta também que o filme distorce os laços entre sul e norte-coreanos. Em 007 - Um Novo Dia para Morrer, James Bond tenta impedir que norte-coreanos invadam seus vizinhos do sul, usando uma arma de destruição em massa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.