Daniel LEAL-OLIVAS / AFP (09/05/16)
Daniel LEAL-OLIVAS / AFP (09/05/16)

Bryan Singer, diretor de 'Bohemian Rhapsody', nega acusações de abuso sexual contra menores

Cineasta classificou reportagem investigativa como 'difamatória e homofóbica' e disse que artigo busca 'manchar' sua reputação e as chances do filme sobre Freddie Mercury no Oscar

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2019 | 03h12

LOS ANGELES - O diretor de "Bohemian Rhapsody", Bryan Singer, desmentiu novas acusações contra ele por abuso sexual de menores de idade. As denúncias foram divulgadas pelo site The Atlantic a partir de conversas com quatro homens.

 

Um dos acusadores classificou o cineasta como "predador" por dar álcool e drogas às vítimas antes de abusá-las.

Singer, de 53 anos, negou as acusações e tachou o artigo como "difamatório e homofóbico" que busca "manchar" sua reputação e prejudicar as chances de seu filme sobre a vida do cantor Freddie Mercury, do Queen, vencer as indicações ao Oscar. "Bohemian Rhapsody" foi nomeado em cinco categorias, incluindo melhor filme.

"A última vez que escrevi sobre esse assunto, a revista Esquire estava a ponto de publicar um artigo escrito por um jornalista homofóbico que estava extremamente obcecado comigo desde 1997", afirmou Singer, em comunicado enviado à imprensa. "Depois de cuidadosos controles e ante à falta de fontes confiáveis, a Esquire optou por não publicar essa vergonha jornalística."

"Isso, no entanto, não impediu o autor de vender o artigo para o The Atlantic", completou o diretor. As denúncias foram publicadas pelos jornalistas Alex French e Maximillian Potter. Os dois explicaram pelo Twitter que a reportagem foi publicada no The Atlantic porque foi rejeitada pela Esquire por "razões desconhecidas".

French e Potter dizem ter investigado as acusações contra Singer durante um ano, entrevistando mais de 50 fontes. A reportagem apresenta o diretor como "um homem problemático que se rodeou de adolescentes vulneráveis, muitos deles sem família". Os relatos indicam que Singer não agia só nos crimes.

"Foi ajudado por amigos e associados que traziam jovens", diz a reportagem, ao afirmar que a indústria do entretenimento exerce "imenso poder" devido aos êxitos comerciais.

Há anos, Singer tem sido relacionado a denúncias de condutas sexuais inapropriadas, além de alvo de várias denúncias de abuso sexual. Os casos, no entanto, não chegaram a uma conclusão ou foram retirados após acordos fora dos tribunais.

Singer foi demitido pela 20th Century Fox em dezembro de 2017, pouco antes do término das filmagens de "Bohemian Rhapsody", por faltar diversas vezes ao trabalho. O diretor alega que ficava ausente para cuidar da mãe doente. Além da cinebiografia de Mercury, Singer também fez sucesso ao dirigir os filmes da saga X-Men. //AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Netflix divulga as 5 séries internacionais preferidas do público brasileiro
  • Projeta Brasil do Cinemark apresenta filmes brasileiros por apenas R$ 4
  • Glória Maria faz cirurgia para remover lesão cerebral e passa bem
  • ‘Sonic - O Filme’: Internautas aprovam ‘reforma’ do personagem; assista
  • Lollapalooza Brasil 2020: confira o line up por dia 

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.