Brooke Shields responde a críticas de Tom Cruise

A atriz Brooke Shields rebateu as críticas de Tom Cruise, que se declarou contra o uso de antidepressivos em um talk show, dizendo que o uso dessas drogas a ajudaram a superar os sentimentos de desespero depois do nascimento de sua primeira filha."Me atreveria a arriscar que o senhor Cruise nunca sofreu de depressão pós-parto", escreveu a estrela de cinema e teatro em um artigo publicado hoje no jornal The New York Times.Cruise já havia criticado anteriormente a atriz por tomar medicamentos antidepressivos e mostrou-se particularmente veemente sobre o tema em uma entrevista concedida na semana passada a um programa da NBC."Você não conhece a história da psiquiatria, eu conheço", disse Cruise ao entrevistador Matt Lauer, do programa Today. O ator repeliu a existência de "distúrbios químicos" que necessitem ser corrigidos à base de remédios e disse que depressões podem ser tratadas com exercícios e vitaminas. Brooke disse que tais afirmações são "um desserviço às mães de todo o mundo". A atriz disse que considerou a possibilidade de cometer suicídio tomando um frasco de pílulas ou pulando de uma janela, quando passou pelo momento mais grave de sua depressão, depois do nascimento de sua filha Roman Francis, em 2003.Um médico logo ligou tais pensamentos suicidas a uma queda dos níveis de estrógeno e progesterona no organismo da atriz, e lhe indicou um antidepressivo."Se algo bom pode sair desta falação ridícula do senhor Cruise, esperamos que seja dar maior atenção - algo muito necessário - a uma doença grave", escreveu Brooke.A atriz descreveu suas experiências no livro Down Came the Rain: My Journey Through Postpartum Depression (Chegou a chuva: meu caminho pela depressão pós-parto, em tradução livre).Cruise é um seguidor da Cientologia, uma seita que considera a psiquiatria como uma pseudo-ciência de considerável poder destrutivo.

Agencia Estado,

01 de julho de 2005 | 17h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.