Bridget Jones, a heroína das trintonas, está de volta

Mais uma vez, Renée Zellweger ganhou uns quilinhos e treinou o sotaque britânico (ela é natural do Texas) para intepretar a insegura Bridget Jones, na seqüência do sucesso de 2001, O Diário de Bridget Jones. Bridget Jones: No Limite da Razão, de Beeban Kidrom, se passa quatro semanas após os eventos do primeiro filme e mostra que a protagonista não aprendeu nada com os erros do passado. Ela continua insegura e atrapalhada. A heroína das trintonas não sonha mais com o Príncipe Encantado. Afinal, namora oficialmente Mark Darcy (Colin Firth), o empedernido advogado de direitos humanos por quem se apaixonara na primeira história. Mas, ela tem pesadelos, pensando que pode perder seu amado e ainda não conseguiu se livrar de Daniel Cleaver (Hugh Grant), o jornalista esperto e descolado com teve um caso na primeira história. Na verdade, todos os personagens-chave - e os secundários também - estão de volta, reorganizados em torno de uma trama cujo centro está nas agruras de uma heroína romântica atormentada por suas inseguranças em relação ao amor. O filme mostra as diferenças que aparentemente tornam incompatível a união de Bridget e Mark. De família simples e suburbana, ela tem sonhos de se transformar em uma jornalista respeitada, mas não passa de uma mulher cheia de recalques e sem o chamado "verniz de sofisticação". De família tradicional, ele trabalha como advogado em causas humanitárias e tem relações próximas com o governo britânico, o que exige uma educação extremamente refinada e muita habilidade política. Não por acaso, um dos personagens autenticamente mais engraçados da história é o Daniel Cleaver de Hugh Grant. O jornalista inescrupuloso e irônico reaparece como âncora de um programa de turismo que explora os aspectos mais politicamente incorretos dos locais que percorre. Ele usa sua influência para ter Bridget em sua equipe e, numa viagem para a Tailândia, aproveita da fragilidade da companheira para atacá-la novamente. Grant provoca risadas. Um dos melhores momentos do filme é a seqüência em que Bridget, detida num presídio tailandês por causa de um terrível engano, ensina às suas colegas de cela a cantar Like a Virgin do jeito certo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.