Tiziana Fabi/AFP
Tiziana Fabi/AFP

Brian de Palma prepara filme inspirado no caso Weinstein

Brad Pitt também já havia anunciado filme sobre os casos de estupro e assédio sexual do produtor Harvey Weinstein

EFE

04 Junho 2018 | 10h13

O cineasta americano Brian de Palma prepara um filme sobre o caso Harvey Weinstein e está em negociações com um produtor francês para que saia do papel, indicou em entrevista publicada no final de semana pelo jornal francês Le Parisien. "Estou escrevendo um filme sobre este escândalo e estou negociando com um produtor francês", indicou De Palma.

++ Brad Pitt produzirá filme sobre escândalo Weinstein

O cineasta acrescentou que "o personagem não se chamará Harvey Weinstein", que mas "será um filme de medo com um agressor sexual e se passará na indústria do cinema". De Palma não deu mais detalhes sobre este projeto baseado nas múltiplas denúncias de agressão sexual contra Weinstein, que está atualmente em liberdade provisória após o pagamento de fiança e é acusado oficialmente de estupro e outros atos criminosos de cunho sexual.

Um assunto que será alvo de outras adaptações cinematográficas, como a que será realizada pela companhia Plan B, de Brad Pitt, responsável por 12 Anos de Escravidão, ou a que pretende realizar a Anapurna Pictures, que está por trás de títulos como A Hora Mais Escura e Trama Fantasma.

De Palma, que está na França para apresentar seu primeiro romance Are Snakes Necessary?, escrito junto a Susan Lehman, e para assistir a uma retrospectiva de seu trabalho na Cinemateca de Paris, também se referiu às plataformas audiovisuais como Netflix. O diretor de Os Intocáveis afirmou que não quer trabalhar para Netflix porque necessita "da grande tela", já que é considerado "um estilista visual".

E foi muito crítico com Hollywood, dizendo que "os filmes de dinossauros e super-heróis são só para crianças" e não permite "fazer filmes sérios".

Mais conteúdo sobre:
Brian de Palma Harvey Weinstein

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.