Brasília escolhe hoje os vencedores do 34º Festival

Com a apresentação do último concorrente, Dias de Nietzsche em Turim, encerrou-se ontem à noite a mostra competitiva do 34º Festival de Brasília. O diretor Julio Bressane, que mora no Rio, não veio porque encontra-se gripado. Mandou mensagem pelo ator Fernando Eiras, que interpreta o filósofo Niezsche, pedindo ao público "paciência e tolerância" para com o filme. De fato, Dias de Nietzsche em Turim nada tem a ver com o cinema narrativo convencional. Relata, de maneira muito pessoal, a temporada de Friedrich Nietzsche na cidade italiana. Lá ele escreveu, foi feliz e produtivo, mas também apresentou os primeiros sintomas da loucura que o incapacitaria até a morte, ocorrida em 1900, dez anos depois. Bressane reproduz essa época de maneira poética e alusiva, usando textos e canções do filósofo (que também era músico) e interpretando o seu relacionamento com o compositor Richard Wagner (interpretado pelo ator Paulo José) de quem era admirador até que rompessem relações. Um belo filme, acompanhado por uma platéia respeitosa e silenciosa, que mostrou afinidade com o cinema muito pessoal de Julio Bressane.Hoje à noite, no Teatro Nacional, serão divulgados os prêmios do festival. Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho, ainda lidera a bolsa de apostas. Mas O Invasor, de Beto Brant, pode surpreender. Enfim, dado o bom nível dos concorrentes, espera-se que os prêmios sejam muito divididos. Dificilmente apenas um dos filmes concentrará um grande número de candangos, a estatueta do festival.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.