Brasileira ganha Ouro com curta no Festival de Locarno

O Festival de Locano deu um destaque ao cinema latino-americano e nele foram exibidos vários filmes brasileiros

Rui Martins,

08 de agosto de 2016 | 16h33

Terminou o Festival Internacional de Cinema de Locarno, com uma boa notícia -  a brasileira Eva Randolph ganhou o Leopardinho de Ouro, o primeiro prêmio na mostra de curtas metragens Leopardos de Amanhã, de 50 mil francos, equivalente a 32 mil euros (R$ 77 mil), com o filme de 15 minutos Dez Elefantes.   O curta premiado foi selecionado também para o festival de curtas de São Paulo, com quatro projeções previstas entre os próximos dias 23 e 27.  Esse curta tinha sido rejeitado pelo Festival de Brasília.   O Festival de Locarno premiou com o Leopardo de Ouro o filme mexicano Parque Via, de Enrique Rivero, mostrando a vida monótona, solitária e sem sentido de um zelador de uma rica mansão, vazia.   O Premio Especial do Júri foi para uma co-produçao alemã-polonesa, 33 Cenas da Vida, e o prêmio de Direção para o filme canadense Ela Quer o Caos.   A melhor interpretação feminina foi para a atriz italiana Ilaria Occhini, do filme Mar Negro, no qual se mostra a relação criada entre uma idosa com sua empregada romena. O de melhor ator foi para o turco Tayanc Ayaydin, no filme O Mercado.   O Festival de Locano deu um destaque maior ao cinema latino-americano e nele foram exibidos numerosos filmes brasileiros, com estréia de Filmefobia, de Kiko Goifman. O cineasta Cao Guimarães fez parte do júri da mostra Cineastas do Presente.

Tudo o que sabemos sobre:
locarno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.