Brasil garante presença no Festival de Berlim

Programação terá filmes de Daniel Ribeiro e Marcelo Gomes e Cao Guimarães na importante seção Panorama

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

19 de dezembro de 2013 | 18h51

Dieter Kosslick, o todo-poderoso dirigente da Berlinale, tem anunciado em conta-gotas os filmes que integram a seleção de 2014. O festival será inaugurado dia 6 de fevereiro com o novo longa de Wes Anderson, Hotel Budapeste. Ainda não se sabe se o Brasil vai participar da competição. Em anos recentes, o País venceu duas vezes o Urso de Ouro – com Central do Brasil, de Walter Salles. e Tropa de Elite, de José Padilha, em 1998 e 2008.

 

 

 

 

O que já se sabe é que o Brasil estará representado, sim – e por dois filmes –, em outra importante seção do próximo Festival de Berlim, o Panorama. Wieland Speck, o diretor artístico da mostra, já divulgou quase 20 filmes de sua seleção. São filmes dos EUA, de Taiwan, das Filipinas e de Hong Kong. Os brasileiros são os únicos representantes da América Latina, até agora. O Homem das Multidões, de Marcelo Gomes e Cao Guimarães, foi livremente adaptado do conto de Edgar Allan Poe. No recente Festival do Rio, onde integrou a Première Brasil, os diretores já anunciavam que iam tentar levar o filme a Berlim. Conseguiram.

O Homem das Multidões conta a história de um personagem que é o oposto disso – um solitário maquinista do metrô de Belo Horizonte, interpretado por Paulo André. Narrado com minimalismo, o filme adota um intrigante conceito visual – isolam os personagens dentro de planos largos, usando linhas e objetos que definem quadros dentro do quadro. É muito interessante, e fecha com as pesquisas de linguagens de ambos os diretores.

Daniel Ribeiro dirige o outro longa brasileiro do Panorama 2014. Hoje Eu Quero Voltar Sozinho é capaz de confundir o espectador que já viu o curta Eu Não Quero Voltar Sozinho, de 2010. O título próximo não é mera coincidência. O projeto já existia como longa, mas até para conseguir levantar os recursos, o diretor de São Paulo fez o curta, meio que a título de experimentação. Foi um sucesso. Eu não Quero Voltar Sozinho, que conta a história de um garoto cego – interpretado por Guilherme Lobo –, teve quase 3 milhões de acessos no YouTube e o número continua crescendo.

Vai aumentar ainda mais agora que a versão esticada vai para um dos mais importantes festivais de cinema do mundo. Daniel Ribeiro já esteve em Berlim, no Talent Campus. Ele explica o título – “O personagem reafirma seu desejo de independência. No outro filme era muito protegido. Desta vez, quer voltar sozinho para casa.” Sobre filmar a cegueira, ele diz – “Não existem regras, mas Guilherme (o ator) se impôs de cara com um olhar vazio muito interessante que ele construiu.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.