Brasil concorre com sete longas no festival de Cuba

O secretário para o Desenvolvimento das Artes Audiovisuais, Orlando Senna, viaja neste domingo para Havana, Cuba, para participar do Festival Internacional do Novo Cinema Latino-Americano, que acontece de 8 a 12 de dezembro. O País concorrerá com sete longas de ficção, cinco documentários e dez filmes de animação. Na categoria longa estão concorrendo Amarelo Manga, de Cláudio Assis; O Caminho das Nuvens, de Vicente Amorim; Deus é Brasileiro, de Carlos Diegues; Dois Perdidos numa Noite Suja, de José Joffily; O Homem que Copiava, de Jorge Furta do; O Homem do Ano, de José Henrique Fonseca, e Carandiru, de Hector Babenco. O evento, que está em sua 25ª edição, vai exibir centenas de filmes de diversos países em 34 salas espalhadas por toda a ilhacaribenha, segundo a Agência Brasil. O Brasil terá uma participação de peso. Entre os que disputam o prêmio de melhor documentário, estão Ônibus 174, de José Padilha; Edifício Master, de Eduardo Coutinho e O Prisioneiro da Grade de Ferro, de Paulo Sacramento. Filme de Amor, de Júlio Bressane, vencedor do 36° Festival de Brasília, será exibido na seção Hors Concour. O cineasta cubano Alfredo Guevara disse estar satisfeito com a qualidade e quantidade do material recebido. Os organizadores tiveram de escolher os filmes num universo de 879 produções, procedentes dos mais diversos países. O festival também terá seminários, conferências e lançamentos de livros ligados à indústria cinematográfica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.