Brad Pitt fala sobre paternidade em coletiva de imprensa

O ator americano Brad Pitt reconheceu neste domingo que vê sua carreira cinematográfica de maneira diferente desde que se tornou pai, e que o último filme em que atuou, "Babel", é parte desse novo processo.O mexicano Alejandro González Iñárritu ("Amores Brutos" e "21 gramas", diretor do longa, também ressaltou a importância que sua família tem na hora de fazer seus filmes e declarou que todas as suas obras foram dedicadas a membros de sua família.Pitt e González Iñárritu deram estas declarações durante uma entrevista coletiva realizada neste domingo após a estréia, na noite de sábado, de "Babel", no terceiro dia do Festival Internacional de Cinema de Toronto."No futuro serei um pouco mais maduro" na hora de escolher filmes, confessou Pitt, pensando que seus filhos poderão ver essas produções.Pitt e a atriz Angelina Jolie se tornaram pais em 27 de maio, com o nascimento, na Namíbia, de Siloh Nouvel Jolie-Pitt. Além disso, o casal tem dois filhos adotivos, Maddox, de 4 anos, e Zahara, de quase 2.Em "Babel", Pitt e a atriz australiana Cate Blanchett interpretam um casal americano de férias no Marrocos que sofrem uma súbita tragédia, fruto do azar, mas que se transforma em um incidente internacional. Além disso, o filme retrata outras três histórias que acontecem na Califórnia e no Japão.Refletindo sobre seu papel e sua situação pessoal na vida real, Pitt declarou: "Estamos tão acostumados a determinados serviços, a ter tudo ao alcance das mãos, que assumimos que é assim no mundo todo. Mas nem todo mundo tem o luxuoso atendimento médico que nós temos.""Sendo pai, a pessoa começa a se preocupar com tudo, em como proteger seus filhos. É o que te mantém acordado toda a noite", acrescentou Pitt.Sobre o cenário político do filme, Pitt disse que a mensagem não deve ser aplicada só aos Estados Unidos e a seu papel no mundo."Há muitos aspectos políticos no filme além dos direitos que os americanos acham ter. O filme é sobre a incompreensão, a paranóia, o protecionismo e o chegar a conclusões de forma precipitada. É sobre o que nos faz tomar esta direção em vez de tentar compreender". Este filme "nunca teria me vindo à cabeça se vivesse no México", reconheceu González Iñárritu.O diretor mexicano admitiu que, em termos de direção, Babel foi sua "experiência mais desafiante", devido à participação de atores não profissionais e de várias origens.Entre risos, Pitt reconheceu que a participação de atores não profissionais "o fez descer do pedestal", posto que o permitiu ver "que os atores não são tão bons".Pitt se disse "orgulhoso" por participar de um filme no qual diferentes culturas são retratadas. "É bastante estimulante", declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.