BNDES premia 24 produtores de cinema

Ruy Guerra, Sérgio Bianchi, ToniVenturi e José Joffily fazem parte do time de 24realizadores/produtores premiados pelo último edital do BancoNacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ainstituição financeira foi, junto com a Petrobras e a BRDistribuidora, a grande fomentadora do audiovisual brasileironos oito anos do governo Fernando Henrique Cardoso. A força feminina na produção cinematográfica se fazsentir entre os premiados do BNDES com os nomes de Lúcia Murat,que filmará Quase Dois Irmãos, roteiro escrito em parceria comPaulo Lins (Cidade de Deus), Monique Gardenberg, Sandra Werneck,Leila Hipólito e Betse de Paula. No total, foram premiados 16 longas ficcionais e 8documentais. Na área da ficção, o Rio comparece com dez projetos São Paulo com quatro, o Paraná com um (Terra Vermelha), e oDistrito Federal com outro (Celeste & Estrela, de Betse dePaula). Nenhum projeto do Norte/Nordeste foi agraciado. Sérgio Bianchi voltará aos sets de filmagem -- depois dopolêmico Cronicamente Inviável -- com Quanto Vale ou É por Quilo que tem o conto Pai contra Mãe, de Machado de Assis, como pontode partida. O realizador já dialogou com o escritor fluminenseem Causa Secreta, filme de 1995. O projeto de Ruy Guerra - Terra Vermelha - baseia-se emromance de Domingos Pellegrini, e terá a AraucáriaCinematográfica, de Cloris Ferreira (diretora do Festival deCuritiba), como produtora, e Londrina e o oeste paranaense comocenários. Leila Hipólito, que causou sensação em Gramado com ocurta Decisão (dedicado a seus mestres, Carlos Manga e RobertoFarias), estréia no longa com a comédia As Alegres Comadres,recriação de As Alegres Comadres de Windsor, de WilliamShakeaspeare. A cidade de Tiradentes, em Minas, serve de locaçãoao filme, que se passa no Brasil do século 19. Monique Gardenberg lança Benjamin, seu segundo longa (oprimeiro foi Jenipapo) escorada no prestígio de Chico Buarque,autor do livro que lhe serviu de matéria ficcional. A produtora O2, dona da maior bilheteria da retomada(Cidade de Deus: 3.099.365 espectadores), lançará, com o prêmiodo BNDES, o longa Viva Voz, de Paulo Morelli. Trata-se decomédia que tem, em seu elenco, a hilária Betty Gofman. José Joffily, que conseguiu a proeza de realizar trêslongas na retomada (Quem Matou Pixote?, O Chamado de Deus e DoisPerdidos numa Noite Suja) foi premiado com Achados e Perdidos,roteiro baseado em romance homônimo de Luiz Alfredo Garcia Roza.A literatura é, também, a fonte de Nina, que Heitor Dhaliaescreveu com Marçal Aquino, a partir de Crime e Castigo, deDostoievski. Guta Stroetter será a protagonista, moça que sealoja em pensão e se desentende com a proprietária. Os outros títulos de ficção premiados pelo BNDES sãoCabra Cega, drama político de Toni Venturi; Cazuza, de SandraWerneck (sobre o roqueiro que morreu vítima de Aids); BenditoFruto, de Sérgio Goldenberg; Lisbela e o Prisioneiro, de GuelArraes (a partir de Osman Lins); Tainá 2, da Tietê Filmes; NoMeio da Rua, da Canto Claro Produções, e O Outro Lado da Rua, daNeanderthal Filmes. Na categoria documentário, os premiados são Recôncavo -A Bahia de Dentro; Rap no Rio; Parteiras da Amazônia; Arturos,os Dançarinos do Sagrado; Benguelê; Dom Helder Câmara, o SantoRebelde; As Lutas do Povo Brasileiro e Oscar Niemeyer, Uma Liçãode Arquitetura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.