BNDES aumenta investimento em cinema

O Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai aumentar em pelo menos 20% seu investimento em cinema e vídeo através daLei do Áudio Visual. O anúncio foi feito ontem pelo presidente da instituição, Carlos Lessa, no lançamento do livro Cinema,Desemvolvimento e Mercado, de Paulo Sérgio Almeida e Pedro Butcher, patrocinado pelo banco. O aumento deverá ser de cercade R$ 1,4 milhão, já que em 2002 R$ 6,9 milhões foram destinados ao audiovisual, num total de 22 projetos, 15 de ficção e setedocumentários. Mesmo assim ficará aquém de 2001, quando o BNDES investiu R$ 14,2 milhões, em 45 filmes e vídeos.?Em julho abriremos concorrência para novos projetos e devemos receber cerca de 250 propostas. Até 8 de agosto vamos fazera seleção e decidir a quantia exata que destinaremos ao audiovisual?, disse Lessa. O ministro da Cultura, Gilberto Gil, presenteao lançamento, lembrou que o BNDES tem incrementado seus investimentos em cultura. ?Ao contrário de outras estatais, quepor motivos diversos têm se retraído, o banco tem sido um parceiro instigador, provocador, que procura sempre novosempreendimentos?, lembrou Gil.Com o comprometimento das verbas de patrocínio da BR-Distribuidora até 2005 e a saída temporária da Eletrobrás dessa área,alegando um prejuízo de R$ 227,7 milhões nos três primeiros meses de 2003, o BNDES passa a ser a única estatal a investirpredominantemente em cinema. Seu outro foco principal é a recuperação do patrimônio histórico dos períodos colonial e imperial.

Agencia Estado,

27 de junho de 2003 | 20h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.