Bete Coelho e Paulo Autran estrelam curta-metragem

Em apenas 72 horas, a cineasta Ana Sardinha conseguiu filmar Impermanência, curta-metragem escrito pelo jornalista Angelo Schincariol. Ana trancou-se no estúdio JX Filmes, em São Paulo, com Bete Coelho e Paulo Autran para rodar o roteiro sobre os devaneios de um velho escritor à beira da morte. Autran faz um escritor rico e famoso, preso à uma cama de hospital graças a doença terminal, que enfrenta a solidão e a chegada da morte. Durante cinco dias, enquanto aguarda o fim, esbraveja sozinho e ajusta suas contas finais, desfiando sua filosofia, ironia, amargura, lembranças, até chegar ao limite da existência. Na fita, Bete encarna a enfermeira do escritor que aparece em seus sonhos como a morte. Ligação - Impermanência foi encomendado a Schincariol por Autran. Uma amiga em comum mostrou um texto do jornalista ao ator quando este dirigia Bete Coelho no teatro. Autran ficou encantado e pediu um texto inédito que tivesse como protagonista um velho. Foi esta a única referência da qual Schincariol partiu para escrever Impermanência, há aproximadamente um ano. Inicialmente, o filme seria um longa-metragem, mas foi condensado para intensificar a densidade do texto. A entrada de Bete Coelho para o elenco foi uma feliz decorrência do processo.Enquanto finaliza o trabalho rodado na última semana - que estará pronto em julho -, Ana engata em nova parceria com Schincariol. Os dois trabalham loucamente no roteiro de um novo filme, Casa do Sol, que pretendem filmar no fim do ano. Casa do Sol foi escrito para ser um curta-metragem mas, segundo o autor, nesta fase do projeto ainda não é possível dizer como será o resultado final, podendo inclusive tonar-se um longa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.