Berlim fará homenagem a Fernando Solanas

O cineasta argentino Fernando Solanas vai ser homenageado no 54º Festival de Berlim com um Urso de Ouro pelo conjunto de sua obra. A decisão da organização do evento foi motivada pelo compromisso político do cinema de Solanas. Autor, entre vários outros, de filmes como Tangos ? O Exílio de Gardel, o cineasta foi elogiado pelo diretor da Berlinale por ser um "diretor corajoso e marcante". Fernando Solanas nasceu em Buenos Aires em 1936. Sua carreira no cinema começou há mais de 30 anos e sempre foi marcada pela preocupação política. Um de seus primeiros filmes, Los Hijos del Fierro, de 1972, foi censurado pelo governo argentino. Nos anos 70, quando da ditadura militar na Argentina, Solanas teve que sair de seu país e viveu na França, onde continuou a produzir filmes. Entre 1993 e 97, ele foi deputado no parlamento argentino. No Festival de Berlim, ele exibirá seu último documentário, Memoria del Saqueo. Sobre este filme, o próprio Solanas diz que "quer contribuir para a urgente e indispensável discussão sobre a desumanidade da globalização. Ao mesmo tempo, aspira a provar que outro mundo é possível".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.