"Bem-Vindo à Selva" traz The Rock na Amazônia

The Rock parece uma porta quando entra na sala do Hotel Four Seasons, na qual o aguarda um grupo de jornalistas ibero-americanos. É simpático, mas faz o gênero do brucutu que engoliu um armário. De qualquer maneira, está inteiraço. The Rock, que na verdade se chama Dwayne Johnson, é a nova aposta de Hollywood para substituir Arnold Schwarzenegger, que emigrou para a política, e Sylvester Stallone, que virou, a se julgar pelos últimos filmes, um bagaço. Johnson/The Rock encontrou-se com jornalistas da América Latina e da Europa para divulgar seu novo filme, Bem-Vindo à Selva, que estréia hoje nos cinemas brasileiros.Não foi muito bem-vindo, é bom ir logo esclarecendo. A primeira história que The Rock conta é engraçada. Ele ia fazer o filme na Amazônia. Veio a equipe da produção, com toda a parafernália técnica de um filme caro de Hollywood. O grupo estabeleceu seus equipamentos numa vasta clareira na selva e... Surgiram homens armados e encapuzados que roubaram tudo. Ninguém morreu, mas o resultado é que a rodagem, por razões de segurança, foi transferida para o Havaí, onde The Rock nasceu e iniciou sua carreira, primeiro como surfista. Na história de Bem-Vindo à Selva, The Rock, de 32 anos, é o segurança encarregado de encontrar na Amazônia - e levar para os EUA - o filho de um milionário de maus bofes. O cara busca um mítico amuleto indígena. É interpretado por Seann William Scott, da série American Pie. The Rock dá patadas para todos os lados, Scott se encarrega do humor. É o tipo do filme que, se alguém quiser levar a sério, merece ter a cabeça examinada. O diretor Peter Berg era ator e virou diretor de ação. The Rock, que o público brasileiro conhece de O Escorpião Rei, oferece sempre duas alternativas aos oponentes. O herói dispensa o uso de armas. Usa só a força das mãos. Está feliz da vida com os rumos de sua carreira. Acaba de fazer o remake deFibra de Valente, no papel do xerife criado por Joe Dan Baker no filme de Phil Karlson, de 1974. Vai fazer agora uma comédia de humor negro com Uma Thurman, John Travolta e Danny DeVito. Numa cena de Bem-Vindo à Selva, os personagens lêem um jornal brasileiro e é o Estado. Por quê? "Precisávamos de um jornal com credibilidade e bem conhecido para dizer que é o Brasil."*O repórter viajou a convite da distribuidora Columbia

Agencia Estado,

02 de abril de 2004 | 15h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.