Divulgação
Divulgação

Belas Artes realiza 'Noitão Tim Burton' com pré-estreia de 'Grandes Olhos'

Longa com Amy Adams será exibido neste sábado

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

23 Janeiro 2015 | 09h06

Vencedora do Globo de Ouro de atriz de comédias ou musical, Amy Adams não deve ter acreditado. Todo mundo era capaz de apostar que ela seria indicada, mais uma vez, para o Oscar de melhor atriz, mas a Academia, contra todas as previsões, as deixou de lado para encaixar, na lista de cinco, a grande Marion Cotillard, por seu papel em Dois Dias e Uma Noite, dos irmãos Dardenne. Só falta agora a Academia fazer justiça e dar a Marion seu segundo Oscar - após o que recebeu por Piaf -, mas é melhor seguir falando de Amy Adams.

O primeiro Noitão do ano no Belas Artes, à meia-noite deste sábado, celebra o cinema de Tim Burton, mas a grande atração é a bela Amy, que estrela Grandes Olhos/Big Eyes, justamente o filme que lhe deu o segundo Globo de Ouro consecutivo. No ano passado, ela ganhou por Trapaça, de David O. Russell, lembram-se? Amy faz agora Margaret Keane na cinebiografia assinada por Tim Burton. Uma das pintoras mais rentáveis no mercado de arte dos anos 1950, Margaret teve de lutar na Justiça contra o marido, que se proclamava autor dos quadros de crianças de olhos grandes (e assustados) que ela pintava. O marido, segundo Burton, é Christoph Waltz, que também teve indicação para o Globo de Ouro pelo papel.

Amy, Amy, Amy. Mas o Noitão é de Tim Burton e serão os seus filmes a ocupar três salas do complexo Belas Artes - as salas Villa-Lobos, Cândido Portinari e Oscar Niemeyer -, a partir da meia-noite. Em todas, Grandes Olhos será exibido como pré-estreia, mas os demais programas que vão integrar o Noitão mudarão segundo cada sala. Na Villa-Lobos, o programa chama-se Tim Burton e o Cinema dos Sonhos, com a pré-estreia e dois filmes surpresa. Na Cândido Portinari, a vertente gótica do autor, com a pré-estreia e mais dois filmes surpresa. Na Oscar Niemeyer, o humor negro de Tim Burton, de novo com a pré-estreia e mais dois filmes surpresas.

Faça suas apostas. A curadorias não dá pistas se vai exibir filmes antigos ou se vai se prender aos mais recentes, com certificado de validade. O Tim Burton gótico tanto poderia ser o de Batman quanto o de A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, Sweeney Todd - O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet, sua suntuosa ópera, mais que musical, com trilha de Stephen Sondheim, Sombras da Noite e Frankweenie. O humor se faz presente em todos os seus filmes, mesmo nos mais dramáticos. E o sonho - o cinema de Tim Burton faz sonhar acordado. Vai ser interessante para o cinéfilo, e para o cinéfilo que ama o autor, ver como será feita a divisão de filmes. Dois pra cá, dois pra lá.

Um lembrete - o tema da falsificação e da veracidade na arte, visceral em Grandes Olhos, está presente em Ed Wood como em Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas, sem falar em Marte Ataca! e A Fantástica Fábrica de Chocolate. Mas é um fato. Tim Burton parecia melhor lá atrás, quando sua parceria com o ator Johnny Depp produziu Edward Mãos de Tesoura e Ed Wood. Com o tempo, o gótico e o humor negro entraram numa zona de conforto da qual o diretor raramente se afasta. O Noitão pode muito bem ser uma oportunidade para se conferir como até o cinema de autor - de sonhos - pode produzir suas banalidades.

Noitão - Especial Tim Burton

Sexta, 23/1 às 23h59

Rua da Consolação, 2423 Consolação - Centro - São Paulo

(11) 2894 5781

Estação Consolação (Metrô - Linha 2 Verde)

R$ 34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.