Baseado em HQ de Frank Miller, <i>Sin City</i> passa na HBO

De primeira, o autor Frank Miller não aprovou a idéia de levar sua obra-prima dos quadrinhos, Sin City, para as telas. Tanto foi que só concordou com a adaptação após ver um teste do filme, dirigido por Robert Rodriguez, que literalmente bateu à porta do quadrinista e lhe mostrou no computador três minutos que já havia produzido. Miller não tem do que reclamar. A fidelidade de Rodriguez foi tamanha que beira a obsessão em Sin City - A Cidade do Pecado (21 horas, na HBO). A realidade, ainda que onírica, da violentíssima série em quadrinhos é tanta que inaugurou uma forma de "filmar quadrinhos". Ponto para Rodriguez. Os fãs também adoraram. Esse primeiro filme (já há uma seqüência ainda inédita) une as sagas de três histórias distintas: A Cidade do Pecado, A Grande Matança e O Assassino Amarelo, além do conto O Cliente Tem sempre Razão (que o diretor mostrou a Miller). Em uma das mais violentas e cult adaptações dos quadrinhos dos últimos anos, sobram elogios para a fotografia impecável, o visual e a belíssima direção de arte em que cada cena é a transposição exata dos traços de Miller. Até o contraste extremo entre luz e sombra usado no papel foi preservado, com exceção de um ou outro elemento destacado em cores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.