"Banhos" surpreende e encanta

Roterdã, Sundance, Toronto - não importa o festival; onde quer que Banhos seja exibido, o público se encanta com o filme de Zhang Yang. Tamanha receptividade surpreendeu o cineasta. Ele achava que estava fazendo um filme - o terceiro de sua carreira - cujo interesse seria exclusivamente local e regional, mas ganhou o mundo. A surpresa é tanto maior porque internamente, na própria China, Yang não poupa críticas a Zhang Yimou e Chen Kaige, a quem acusa de filmar para o circuito dos festivais europeus.Por conta do feriado de quinta, as estréias de sexta estão sendo antecipadas em um dia, mas o filme de Yang entra já a partir dessa quarta, no Cinesesc. Veja e descubra imediatamente o porquê do sucesso internacional de Banhos, que será exibido na sala da Rua Augusta com o curta Náufrago de Amílcar Claro, como complemento. O diretor chinês fez a versão boa do supervalorizado, muito mais do que merece, Rain Man, de Barry Levinson.Talvez seja uma aproximação um pouco grosseira, mas dá uma idéia do que o espectador vai ver. Banhos começa numa grande cidade. Um homem entra num banheiro público e toma um banho high tech. Máquinas encarregam-se de lavá-lo e esfregá-lo, como se estivesse num car wash. Esse mesmo homem, daqui a pouco, está chegando à casa de seu velho pai, que dirige uma casa de banhos tradicional, numa cidade do interior.Ele tem um irmão deficiente mental. Há tensões entre pai e filho, e entre os irmãos. O homem nunca contou à mulher sobre esse irmão. A casa de banhos abriga a humanidade, com todos os seus problemas. São várias tramas paralelas. O protagonista vê-se na contingência de ter de assumir a guarda do irmão. O drama familiar é sincero, delicado. E o diretor usa a casa de banhos em vias de desaparecimento para falar sobre um mundo tradicional tragado pelo progresso.Banhos (Xizhao). Comédia. Direção de Zhang Yang. China/99. Duração: 92 minutos. Exibição também do curta Náufrago, de Amilcar M. Claro, Br/98. Cinesesc, amanhã (06) às 15 horas, 17h10, 19h20 e 21h30. Livre

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.