Baixeza, o imperdível cult noir de Siodmak

Se você procurar pelo nome de Robert Siodmak nos dicionários e enciclopédias de cinema, encontrará sempre uma controvérsia e uma unanimidade. O cineasta americano pode ter nascido em Memphis ou Dresden, mas fez sua formação no teatro e no cinema alemães, tendo se transformado num dos principais artífices da tendência conhecida como filme noir. O ciclo que o Centro Cultural Banco do Brasil dedica atualmente ao noir mostra que se trata de um estilo, mais do que um gênero, pois suas fronteiras abarcam muito mais do que simplesmente o policial. Siodmak iniciou-se como diretor na Alemanha co-realizando o célebre Menschen am Sonntag com Edgar G. Ulmer, o diretor austríaco de quem a Aurora está resgatando Curva do Destino (Detour). Também participavam daquele filme Billy Wilder e Fred Zinnemann, todos emigrados para os EUA, onde desenvolveram carreiras importantes. As de Siodmak e Ulmer ocorreram no filme noir e no filme B, registros que às vezes, mas nem sempre, se confundem (como em Curva do Destino). Tudo isso para dizer que você pode (re)ver em DVD o cult Baixeza, de Siodmak, que foi lançado pela Magicline. O filme de 1949 é sempre lembrado pelo erotismo da personagem de Yvonne De Carlo, que forma dupla com Burt Lancaster. Sua origem é curiosa. Siodmak havia feito com o produtor MarkHellinger, um filme que se tonou clássico, Assassinos (The Killers), a versão de 1946, com Lancaster e Ava Gardner. Dois anos mais tarde, Hellinger morreu do coração, deixando um contrato assinado para outro filme com o ator e o diretor. Deixou também um roteiro inacabado, já que nem com contatos no submundo conseguia resolver detalhes da trama que envolvia um assalto num hipódromo (idéia retomada por Stanley Kubrick no também noir O Grande Golpe), de 1956. Com carta branca do estúdio para tocar o projeto, Siodmak minimizou a importância do golpe e favoreceu a destruidora história de amor de um homem fraco por uma mulher ambiciosa, tendo como cenário o meio dos gângsteres. Lancaster, no filme, viveu com Yvonne, mas ela o trocou por um chefão do crime. Quando se reencontram, ele pergunta se ela é feliz. A resposta - "Tenho diamantes." A paixão é avassaladora. Baixeza é um cult noir e o ápice da carreira americana de Siodmak. L.C.M. Baixeza (Criss Cross). EUA,1946. Direção de Robert Siodmak. Da Magicline, R$ 34,80

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.