Bafta também consagra "O Pianista"

Em mais uma etapa da série de premiações pré-Oscar do cinema mundial, foram anunciados neste domingo os vencedores do Bafta, o maior prêmio conferido pela Inglaterra. Os principais premiados do Bafta são grandes concorrentes ao Oscar, cuja cerimônia será daqui a um mês. O Pianista, de Roman Polanski, recebeu o Bafta de melhor filme. Os prêmios de melhores atriz e ator ficaram, respectivamente, com Nicole Kidman, por As Horas, e Daniel Day-Lewis, por Gangues de Nova York. Houve espaço para o Brasil na cerimônia do Bafta: Cidade de Deus foi o vencedor do prêmio de melhor edição, de responsabilidade do editor Daniel Rezende. O fim de semana foi de Roman Polanski. O diretor polonês viu O Pianista receber o Bafta de melhor filme no domingo e o César, o Oscar francês, no sábado. E ele, que foi considerado melhor diretor em Paris, recebeu a mesma honra da organização do Bafta. Chicago e Gangues de Nova York haviam sido indicados em 12 categorias cada um. Havia uma expectativa de que estes dois filmes dividissem a maioria dos prêmios com As Horas. Mas o filme que mais arrebatou Baftas foi O Senhor dos Anéis ? As Duas Torres, nas categorias figurino, efeitos especiais e o prêmio de filme do ano pela opinião do público. A estrela Catherine Zeta-Jones levou para casa o Bafta de melhor atriz coadjuvante por Chicago. Já o prêmio de melhor ator coadjuvante foi para Christopher Walken, por Prenda-me Se For Capaz, filme mais recente de Steven Spielberg. Pedro Almodóvar também saiu-de vencedor do Bafta 2003. Ele derrotou Cidade de Deus na categoria melhor filme de língua não inglesa. Além deste prêmio, Fale Com Ela levou o Bafta de melhor roteiro original, categoria na qual também está indicado ao Oscar.

Agencia Estado,

23 de fevereiro de 2003 | 19h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.