Babenco volta a fazer drama intimista em 'O Passado'

Elenco conta com o mexicano Gael García Bernal e Paulo Autran, em seu último trabalho no cinema

Alysson Oliveira, da Reuters,

07 Outubro 2025 | 16h43

O drama O Passado, que estréia nesta sexta-feira, 26, em todo país, traz em seu elenco o ator mexicano Gael García Bernal e o brasileiro Paulo Autran, em seu último trabalho no cinema.   Veja também: Trailer de 'O Passado'   Especial 31.ª Mostra    O longa, que abriu a 31.ª Mostra Internacional de Cinema na semana passada, foi dirigido pelo argentino naturalizado brasileiro Hector Babenco (Carandiru, Pixote - A Lei do Mais Fraco).   Logo no início do filme, o protagonista Rimini (García Bernal) e Sofia (Analía Couceyro) separam-se depois de 12 anos juntos. Essa separação conduz a trama, baseada no romance homônimo do escritor argentino Alan Pauls.   Rimini vai embora para outro apartamento, levando suas coisas e dando início a uma série de relacionamentos com outras mulheres.   Porém, Rimini e Sofia não fizeram a divisão das fotografias que acumularam ao longo da vida que tiveram em comum, o que serve de desculpa para Sofia continuar procurando o ex-marido.   Mesmo sendo muito passivo, Rimini parece ter superado sua ligação com Sofia. Logo começa uma relação com a modelo ciumenta Vera (Moro Anghileri), mas a ex-mulher acaba complicando o novo relacionamento.   Mais tarde, Rimini, que é tradutor, está casado com a colega de trabalho Carmen (Ana Celentano). Mas o fantasma de Sofia continua assombrando sua vida. Tomada pela obsessão com o relacionamento terminado, a moça definha aos poucos.   Já Rimini começa a enfrentar um bloqueio para as línguas que ele conhece. Não consegue mais fazer traduções.   Em outro momento de sua vida, novamente sozinho, ele também passa a não cuidar de si mesmo, nem sair do apartamento onde mora. Um amigo o ajuda a superar essa fase, mas Rimini se envolve com uma mulher mais velha, o que lhe traz mais problemas.   Paulo Autran, morto neste mês, faz uma ponta no filme, como um professor francês meio amalucado, a quem Rimini traduz em uma palestra.   Depois de um filme de temática social, como Carandiru, Hector Babenco retorna ao drama intimista, como já havia feito em Coração Iluminado (1998) e Ironweed (1987). Aqui são as relações humanas entre os personagens, seus encontros e desencontros que conduzem a narrativa.   Babenco e a roteirista Marta Góes contam esta história valendo-se de diversos saltos no tempo. Assim, não vemos Rimini começando a se apaixonar, mas, sim, quando ele já está imerso em novas relações amorosas.   Rimini vai acumulando camadas com cada relacionamento, que, de certa forma, o modificam. Porém, o personagem nunca deixa de ser passivo, sempre conduzido pelas mulheres que ama.   O Passado é uma co-produção entre a Argentina e o Brasil. Embora a maior parte tenha sido filmada em Buenos Aires, algumas cenas foram rodadas no centro de São Paulo e no prédio da Bienal, no parque do Ibirapuera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.