Babel ganha prêmio do júri ecumênico em Cannes

O filme Babel, de Alejandro González Iñárritu, um dos grandes favoritos à Palma de Ouro, conquistou, no último sábado, o primeiro prêmio do Júri Ecumênico do Festival de Cinema de Cannes. A escolha da nova obra do diretor de Amores Brutos se deu, segundo o júri, por sua maneira de revelar "que uma relação autêntica só é possível quando se renuncia ao controle de tudo em prol de uma acolhida mútua das forças e das fragilidades de cada um". A emigração mexicana aos EUA, o terrorismo e a solidão são alguns dos temas abordados por Babel, que tem no elenco Brad Pitt, Kate Blanchett e Gael García Bernal.Já a Federação Internacional da Imprensa Cinematográfica(Fipresci) premiou a diretora paraguaia Paz Encina por La HamacaParaguaya, que estreou na seção oficial Un Certain Regard. A diretora paraguaia, a primeira de seu país a apresentar umfilme na seleção oficial de Cannes, disse à EFE estar "feliz eencantada" com este prêmio, e que "realmente tinha muita vontade deganhá-lo, pois é muito charmoso e independente". La Hamaca Paraguaya se passa em 1935, em um remoto e belíssimo lugar do Paraguai, onde dois camponeses, Cândida e Ramon, esperam diariamente o retorno de seu filho, que foi à guerra, e aguardam também tempos melhores. A 59.ª edição do Festival de Cinema de Cannes será concluídaneste domingo com a estréia - fora de competição - do filme Transylvania, de Tony Gatlif, que vai preceder a entrega da Palma de Ouro e outros prêmios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.