Baobab Studios via AP
Baobab Studios via AP

‘Baba Yaga’ lança uma estreia cinematográfica com realidade virtual

Daisy Ridley e Jennifer Hudson foram a uma estreia cinematográfica juntas na semana passada

Lindsey Bahr, AP

25 de janeiro de 2021 | 07h00

Na semana passada, Daisy Ridley e Jennifer Hudson foram juntas à estreia de um filme. Posaram para fotos e fizeram comentários em um palco enquanto o público assistia calado. Mais precisamente, os seus avatares fizeram isto.

Os atores na realidade estavam em diferentes continentes, reunidos por alguns minutos por meio de óculos de realidade virtual, andaram no tapete vermelho, posaram para fotos e falaram para uma multidão de outros avatares sobre o seu curta Baba Yaga. Esta é a chamada primeira estreia cinematográfica em RV.

“Eu tenho a sensação de ter ido realmente a uma estreia,” comentou Hudson mais tarde. “Mas eu nem saí de casa! Acho que esta é uma maneira muito legal de fazer estas coisas neste momento”. Ela gostou principalmente de ver a sua equipe e os seus avatares muito parecidos com o seu pessoal.

As estreias virtuais de filmes tornaram-se uma coisa comum em Hollywood desde o início da pandemia. Os “eventos” costumam ter uma amostra do filme para ser exibida na tela de cinema de sua casa e, às vezes, uma entrevista com perguntas e respostas em estilo Zoom. Mas a Baobab Studios, o estúdio de animação interativa criado há seis anos, que realizou diversas experiências cinematográficas em RV, decidiu por Baba Yaga.

“Na realidade, não acho que teríamos pensado disto não fosse a covid-19”, disse Eric Darnell, co-diretor dos filmes Madagascar, um dos fundadores da Baobab. “Em geral, fazemos as estreias dos nossos filmes em festivais”.

Baba Yaga na realidade teve uma estreia real em um festival também, na Mostra de Veneza do ano passado. Mas como ficou cada vez mais claro que não haveria uma oportunidade nos EUA, a companhia começou a trabalhar juntamente com a empresa de consultoria MESH de realidade estendida para a produção do ambicioso evento, que incluiu o desenho de uma sala na floresta tropical inspirada naquela do filme. 

A estreia cinematográfica na realidade virtual não é inteiramente diferente de uma estreia de verdade. Há jornalistas, diretores e atores, coisas para olhar e painéis diante dos quais as pessoas tiram selfies (de verdade). Neste evento particularmente, havia também uma área demarcada por um cordão de isolamento, embora os organizadores explicassem que designava apenas o fim do espaço e não uma festa exclusiva reservada.

E como nos eventos reais, às vezes, você não tem ninguém para conversar e fica perambulando sem graça, de ouvidos bem aguçados. Mas em uma estreia da RV não se pode sequer fazer de conta de enviar mensagens ou responder a e-mails. Esta repórter também teve o aparelho por alguns minutos depois de ficar tonta com a RV.

Darnell foi roteirista e dirigiu o filme/experiência junto com Mathias Chelebourg. Também caracterizou as vozes de Kate Winslet e Glenn Close. O filme e a sala da floresta estão disponíveis para uma experiência por meio da Oculus Quest.

Eventos como este talvez tenham nascido da necessidade, mas poderão ser o caminho do futuro. “Mesmo se voltarmos às estreias em festivais, ainda acho que esta é uma maneira muito interessante de juntar as pessoas e dizer ‘Vamos homenagear este veículo com uma festa’”, disse Darnell. / Tradução de Anna Capovilla

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.