Paul Drinkwater/AP - 18/01/2010
Paul Drinkwater/AP - 18/01/2010

‘Avatar’ fatura o Globo de Ouro em sua carreira de sucessos

James Cameron ganhou os prêmios de melhor filme e direção; na TV, 'Mad Men' levou o de melhor série dramática e 'Glee', comédia

Teresa Ribeiro, do estadao.com.br,

17 de janeiro de 2010 | 23h48

Avatar foi o grande vencedor do 67.º Globo de Ouro. Não que o filme de James Cameron tenha arrebanhado muitos prêmios, mas ficou com os principais: melhor filme e melhor diretor. Ao receber o troféu pela direção de Mel Gibson, disse que pensava que o prêmio iria para sua ex-mulher Kathryn Bigelow. E quando Julia Roberts anunciou Avatar como melhor filme, Cameron disse que "esta noite foi muito emocionante e ao ver o rosto de pessoas que respeito há anos por trabalhos maravilhosos, quero dizer que temos o melhor emprego do mundo e devemos nos congratular por isso". Para ele, "Avatar mostra que tudo está conectado". O filme que demorou quatro anos para ser feito faturou US$ 1,6 bilhões, tornando-se a segunda maior bilheteria da história do cinema, a primeira é Titanic, também de Cameron. Na televisão, Mad Men levou pela terceira vez o prêmio de melhor série dramática e uma das boas notícias da noite foi a da inovadora Glee vencendo como melhor musical, um gênero raro no mundo dos seriados.

 

A cerimônia valeu mais pelas celebridades do que pelas piadas sem graça do apresentador, o humorista Ricky Gervais, co-criador do The Office. Lá estavam Paul McCartney, Sophia Loren, que foi longamente aplaudida por toda plateia de pé, Martin Scorsese idem, quando recebeu o prêmio honorário Cecil B. DeMille das mãos de seu pupilo Leonardo DiCaprio e seu amigo de longa data Robert De Niro, e mais Arnold Schwarzenegger, Mike Tyson e das belas Penelope Cruz, Julia Roberts, Cameron Diaz, Kate Winslet, Drew Barrymore e tantas outras.

 

Sandra Bullock finalmente recebeu o seu troféu da Associação da Imprensa Estrangeira em Hollywood como melhor atriz dramática, disputando com a grande Helen Mirren. Sandra arrasou nas bilheterias norte-americanas faturando mais de US$ 200 milhões com O Lado Cego (The Blind Side). Este parece ser o ano da atriz, que pode levar um Oscar e foi indicada também ao Globo de Ouro de melhor atriz de comédia, com A Proposta. Ao receber o troféu das mãos de Mickey Rourke, ela disse: "Eu posso não ter o maior talento, mas tive uma oportunidade".

 

Meryl Streep, a darling de Hollywood, ficou com o prêmio de melhor atriz de comédia por Julie & Julia, conquistando seu sétimo troféu, além de ter concorrido com ela mesma por seu papel em Simplesmente Complicado. Meryl lembrou das mulheres extraordinárias que viveu ao longo de sua carreira e disse que Julia era uma homenagem à sua mãe e à geração dela: "Para elas, não existia tristeza".

 

Entre os melhores atores, a escolha de Jeff Bridges (Crazy Heart), outro ator querido entre seus pares e que nunca tinha recebido um prêmio tão importante, levantou a plateia mais uma vez. Bridges concorria com George Clooney, Colin Firth, Morgan Freeman e Tobey Maguire. E o Sherlock Holmes de Guy Ritchie, o ex de Madonna, rendeu a Robert Downey Jr. o prêmio de melhor ator de filme de comédia, configurando mais uma vez a volta por cima do astro em seu passado junkie de drogas, bebidas e prisões. Downey desbancou o favorito Matt Damon (O Desinformante!). Ele brincou com o concorrente: "Ainda bem que eu não fui pela cabeça de minha mulher que disse para eu não preparar discurso pois o Matt Damon ia ganhar mesmo".

 

Se Beber, Não Case foi eleito melhor comédia do ano, mas na verdade fez mais sucesso nos Estados Unidos do que por aqui. Já Up - Altas Aventuras parece unanimidade por toda parte e pode levar também o Oscar de melhor animação. O mesmo vale para A Fita Branca sobre a gênese do nazismo. O filme de Peter Handke também era o favorito entre os filmes estrangeiros, podendo repetir o desempenho no Oscar. Já o elogiado Amor Sem Escalas que tinha seis indicações, ficou apenas com o prêmio de melhor roteiro para Jason Reitman.

 

Com os coadjuvantes, havia dúvidas se a favorita Mo'Nique conquistaria o voto da imprensa por Preciosa - Uma História de Esperança, já que ela concorria com Penélope Cruz e Julianne Moore, além das atrizes de Amor Sem Escalas, Vera Farmiga e Anna Kendrick. Mas deu certo. Outra boa surpresa foi o ator Christoph Waltz, um judeu nascido em Viena, na Áustria, que fez o papel de um oficial nazista em Bastardos Inglórios, levar o troféu. Aliás, este foi o único prêmio para o filme de Quentin Tarantino que antes da estreia de Avatar era favorito nas principais categorias.

 

Nas séries de televisão Alec Baldwin levou novamente o prêmio de melhor ator de comédia por 30 Rock, mas nem foi receber, pois estava em evento beneficente, explicaram. A atriz eleita foi Tini Collette, por United States of Tara.

 

Mad Men levou pela terceira vez o prêmio de melhor série dramática, mas os atores premiados na categoria atuam em outros seriados: Julianna Margulies por The Good Wife e Michael D. Hall, por Dexter. O ator divulgou recentemente que luta contra um linfoma e foi à cerimônia com um gorro na cabeça.

 

A melhor minissérie ou telefilme foi Grey Gardens, que rendeu a uma nervosa Drew Barrymore o prêmio de melhor atriz na categoria, enquanto o de melhor ator foi para Kevin Bacon, por Taking Chance.

Tudo o que sabemos sobre:
Globo de Ourocinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.