'Avatar' continua no topo das bilheterias na Grã-Bretanha

LONDRES (Reuters Life!) - O sucesso de público de James Cameron "Avatar" manteve o primeiro lugar nas bilheterias britânicas durante o fim de semana, apesar dos esforços de "Sherlock Holmes".

REUTERS

12 de janeiro de 2010 | 11h52

"Avatar", que está atrás apenas de "Titanic", do mesmo diretor, no ranking das maiores bilheterias da história, arrecadou mais 4,7 milhões de libras (7.57 milhões de dólares), segundo a revista Screen International nesta terça-feira.

"Avatar" não conseguiu bater o marco de 10 milhões de libras em sua estreia no país, e, após uma semana no topo das bilheterias, fora superado pelo lançamento "Alvin e os Esquilos 2".

Mas a história de um homem que é enviado para infiltrar-se numa raça alienígena recuperou as vendas no fim de semana e, até agora, arrecadou quase 41 milhões de libras desde sua estreia há um mês.

O "remake" de Guy Ritchie do clássico "Sherlock Holmes", com Robert Downey Jr. interpretando o grande detetive e Jude Law como Dr. Watson, ficou na segunda posição pela terceira semana, arrecadando 2 milhões de libras.

O filme sobre vampiros "Daybreakers", com Ethan Hawke e Willem Dafoe, entrou em terceiro, logo acima de "Alvin e os Esquilos 2", que escorregou para a quarta posição.

"Simplesmente Complicado", comédia romântica com Meryl Streep no ápice de um triângulo amoroso, apareceu em quinto.

A versão bastante esperada do romance pós-apocalíptico de Cormac McCarthy "The Road" estreou em sexto lugar, enquanto a história de Hugh Grant e Jessica Parker em Nova York "Did you Hear about the Morgans?" caiu três posições, para sétimo.

"Nine", com Daniel Day-Lewis, Judi Dench e Penélope Cruz, também caiu três lugares, ficando em oitavo, assim como as garotas de "St. Trinian's 2: The Legend of Fritton's Gold", que foi para nono.

Em décimo lugar ficou o filme-biografia de Ian Dury, "Sex&Drugs&Rock&Roll".

(Reportagem de Stephen Addison)

Tudo o que sabemos sobre:
FILMEAVATARPRIMEIRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.