"Auto da Compadecida" é o melhor em Tiradentes

Na cerimônia de encerramento da Mostra de Cinema de Tiradentes foram anunciados os vencedores da votação em júri popular. Os mais bem votados foram o longa O Auto da Compadecida , de Guel Arraes, o curta A Invenção da Infância, de Liliana Sulzbach, e o vídeo Secos e Molhados , de Armando Mendezz.A mostra, que durou nove dias, teve um público de quase 34 mil pessoas. Foram exibidos 30 longas-metragens, 41 curtas-metragens e 52 vídeos, em três cinemas espalhados pela cidade. 11 oficinas distribuíram 307 certificados e vários especialistas e personalidades do cinema brasileiro estiveram reunidos em um seminário, discutindo os problemas e soluções para o cinema nacional.Este seminário gerou a Carta de Tiradentes, que será entregue ao Senador Francelino Pereira, relator da Comissão Especial do Cinema Brasileiro, e ao Ministro da Cultura, Francisco Weffort. As reivindicações envolvem o Fórum Nacional dos Organizadores de Eventos Audiovisuais Brasileiros, a Associação Brasileira de Documentaristas (ABD Nacional) e a Associação Curta Minas - ABD/MG. No documento, a principal proposta é de incrementar ações para a conquista de 100% de isenção fiscal na Lei Rouanet para festivais audiovisuais e produção de curtas-metragens. Prestígio - A população e os turistas prestigiaram o último dia de festival. Além dos últimos longas exibidos, foram apresentados também os melhores curtas-metragens e a última sessão de vídeo lotou o Centro Cultural Yves Alves. Segundo Raquel Hallak, coordenadora do evento, a mostra cumpriu seus objetivos. "Estamos felizes em contribuir para o aumento do espaço para exibição do cinema nacional. Esperamos continuar em 2002 com esta proposta de valorização do cinema brasileiro, levando-o até onde ele deve ir, o Brasil".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.