Ausência na lista do Oscar “não desmerece o Pequeno Segredo”, diz diretor

Ausência na lista do Oscar “não desmerece o Pequeno Segredo”, diz diretor

David Schurmann publicou comunicado para exaltar caminhada do filme que não foi lembrado pela Academia

O Estado de S. Paulo

16 Dezembro 2016 | 10h39

David Schurmann, na primeira hora desta sexta-feira, 16, publicou no Facebook um texto no qual avalia a trajetória de Pequeno Segredo, filme que foi indicado pelo Brasil para a disputa do Oscar na categoria de melhor produção estrangeira e que ficou fora da lista dos 5 longas selecionados a disputarem a estatueta em 2017.

O Oscar não foi desta vez”, escreveu Schürmann, antes de se dizer “feliz e orgulhoso” com o caminho percorrido pelo filme. “A corrida do Oscar começou com 85 obras internacionais e nosso filme estava nessa seleta lista. Mais do que isso! Nos últimos meses, tive a oportunidade de estar em várias sessões com membros da Academia e testemunhar que nosso filme, uma produção nacional, emocionou o público. Cada uma dessas exibições foi encerrada sob aplausos calorosos.” 

Ele relembra que Pequeno Segredo conseguiu alcançar um estágio na disputa que nenhum filme brasileiro conseguiu desde 2008, com O Ano Que Meus Pais Saíram de Férias, de Cao Hamburguer. “Figurar entre os cinco indicados, então, uma vitória que não se repete desde 1999 com Central do Brasil, de Walter Salles”

Para David Schürmann, a ausência na lista dos cinco selecionados pela Academia “não desmerece o Pequeno Segredo”, ele diz. “Tampouco (desmerece) as demais obras que não conseguiram ficar na relação dos pré-indicados da categoria este ano, entre eles, sucessos de crítica e público, como Neruda (Chile) e Elle (França), ou, em edições anteriores, os brasileiros O Som Ao Redor, Hoje Eu Quero Voltar Sozinho e Que Horas Ela Volta, selecionados nos últimos três anos. 

Veja o comunicado completo: 

A Academia de Artes e Ciência Cinematográficas publicou na noite desta quinta-feira, 15, uma lista preliminar com nove produções e o longa não está entre os selecionados.

Da lista divulgada sairão os cinco indicados que participarão da premiação no dia 26 de fevereiro de 2017. Os indicados serão anunciados no dia 24 de janeiro. Entre os finalistas estão o iraniano The Salesman e o alemão Toni Erdmann, que também foram indicados ao Globo de Ouro.

Pequeno Segredo gira em torno da história da adoção de uma menina soropositiva pela família de velejadores Schurmann. A sua escolha para representar o Brasil, feita por uma comissão instituída pelo governo, foi marcada por controvérsia.

Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, era o favorito à vaga. O filme estreou na competição do Festival de Cannes, em maio, sob um protesto feito pela equipe do filme contra o impeachment de Dilma Rousseff.

O Brasil foi indicado quatro vezes ao Oscar de melhor filme estrangeiro: por O Pagador de Promessas (1963); O Quatrilho (1996), O Que É Isso, Companheiro? (1998) e Central do Brasil (1999). Mas nunca levou o prêmio.

Quem ficou na disputa

The Salesman (Irã)

É Apenas o Fim do Mundo (Canadá)

En Man Som Heter Ove (Suécia)

Ma Vie De Courgette (Suíça)

Paraíso (Rússia)

Tanna (Austrália)

Terra de Minas (Dinamarca)

The King's Choice (Noruega)

Toni Erdmann (Alemanha)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.