Aumentam as chances de "2 Filhos" no exterior

O grande concorrente de 2 Filhos de Francisco, dirigido por Breno Silveira, sobre a saga de Zezé di Camargo e Luciano foi Casa de Areia, de Andrucha Waddington, de quem Breno foi diretor de fotografia em Eu, Tu, Eles. Casa de Areia era apontado como forte candidato por contar com Fernanda Montenegro (indicada ao Oscar de Melhor Atriz) no elenco e já ter estréia garantida nos Estados Unidos. O filme, também distribuído pela Columbia TriStar, foi comprado pela Sony Classics. Mas foi a história da dupla sertaneja que conquistou a chance de representar o Brasil na disputa por uma vaga no Oscar 2006, conforme decisão da comissão de críticos reunida pela Secretaria do Audiovisual, do Ministério da Cultura hoje em Brasília.?Foi uma escolha tranqüila, pois os jurados eram todos críticos de cinema e já haviam discutido sobre os filmes antes?, completou o secretário do Audiovisual, Orlando Senna. ?A decisão não foi unânime: o júri ficou entre 2 Filhos de Francisco, Casa de Areia e Quase Dois Irmãos, mas optamos pela emoção e por ser uma história extremamente brasileira, com toque universal?, declarou Rubens Ewald Filho, um dos jurados. Breno Silveira, o diretor de 2 Filhos de Francisco contou que ?estava muito nervoso, mas agora estou muito feliz". Silveira acredita "que o filme funcione com qualquer platéia, pois é uma história universal. O melhor de tudo isso é ver o preconceito ser vencido, pois o filme tem sido bem recebido até por platéias que sabíamos que não eram fãs da dupla". Luciano assina embaixo: ?O filme tem a brasilidade expressa na cara, mas também é uma história universal, por isso acredito no sucesso que ele pode fazer também fora do País. Sem seu chão, sem sua terra, você não é nada. Eu já acreditava no filme do Breno, agora estou orgulhoso de ver que ele vai representar o Brasil na disputa por uma vaga do Oscar." Um esfuziante Zezé completou: ?Estou muito feliz. Ontem, antes de me deitar, fiz uma oração e falei com Deus. Nunca fui de pedir nada, mas pedi para Ele iluminar os jurados e que vencesse o melhor.?Escolhido o representante, parte-se para a "campanha rumo ao Oscar". ?Com a escolha, aumentam as chances de 2 Filhos estrear no exterior. Executivos da Sony International assitiram ao filme na noite de quarta-feira, em uma sessão exclusiva em Los Angeles, e aprovaram. Sal Ladestro, vice-presidente de Marketing, Aquisições e Produções Locais da Sony International, afirmou ser um dos melhores filmes que ele assistiu em muito tempo. ?É extraordinário, impressionante para um primeiro filme. Prometo que vou tentar colocar o filme no Globo de Ouro?, escreveu a Breno Silveira por e-mail. ?Esta é uma história para agradar multidões, é de levar qualquer um às lágrimas, uma jornada emocional com a qual todo mundo pode se identificar... e trata-se de uma história real! Você realmente fica comovido em saber que aquela é uma história real, verdadeira e tão emocionante?, completou o executivo, que já garantiu que vai interceder pelo filme no mercado externo. ?A Columbia está em festa. A escolha ajuda na carreira do filme lá fora. Outros países vão querer conferir. Mas ainda não há nenhuma estratégia definida. Vamos começar agora a discutir isso agora. No Brasil, por enquanto, vamos manter as 289 cópias com que iniciamos a campanha do filme e esperar os resultados. Mas não temos planos de aumentar o número de cópias. O mais provável é que a média de espectadores por cópia aumente?, declarou André Sala, gerente de ventas de Columbia, distribuidora e co-produtora do filme. O longa lidera as bilheterias brasileiras pela quinta semana e deve bater os 2,8 milhões de espectadores neste fim de semana. Se mantiver a média, 2 Filhos pode se tornar o segundo filme mais visto da retomada, superando Cidade de Deus (3,3 milhões de espectadores) e atrás somente de Carandiru (4,693 milhões). Nesta sexta, o Ministério da Cultura comunica oficialmente aos organizadores do Oscar sobre a escolha do Brasil. A Academia divulga os cinco concorrentes ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro 2006 em 31 de janeiro do ano que vem. A premiação ocorre em março. Outros - Outros países também definiram seus representantes. A Alemanha escolheu Sophie Scholl, de Marc Rothemund, que conta a história de uma estudante alemã que protesta contra o nazismo. O selecionado sul-africo é Tsotsi, de Gavin Hood, e a Hollanda nomeou Bluebird, de Mike de Jong.

Agencia Estado,

22 de setembro de 2005 | 20h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.