Philippe WOJAZER / AFP
Philippe WOJAZER / AFP

Atriz sueca Bibi Anderson morre aos 83 anos

Berit Elisabeth Andersson era uma das favoritas do cineasta Ingmar Bergman

EFE, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2019 | 17h01

A atriz sueca Bibi Andersson, uma das favoritas do cineasta Ingmar Bergman, morreu hoje aos 83 anos, informou a diretora e amiga pessoal da artista Christina Olofson.

"Bibi foi uma grande atriz e uma humanista fantástica", disse ela ao jornal sueco "Göteborgs-Posten".

Berit Elisabeth Andersson, seu nome de batismo, estreou nas telas aos 15 anos, em uma propaganda dirigida por Bergman. Depois, se formou como atriz no Teatro Dramático Real, o prestigiado Dramaten, e apareceu vários filmes de Bergman, entre eles O Sétimo Selo, Morangos Silvestres e Quando Duas Mulheres Pecam. Foi o seu papel neste último filme que fez com que ela ganhasse o Guldbagge, o maior prêmio do cinema sueco.

Tal sucesso abriu caminho para o início de uma carreira internacional, que incluiu trabalhos com cineastas como John Huston (Carta ao Kremlin) e Robert Altman (Quinteto).

A partir do final dos anos 80, centrou sua carreira na TV e no teatro, onde voltou a fazer parcerias com Ingmar Bergman.

Bibi Andersson sofreu um derrame cerebral em 2009 e desde então estava internada em um hospital de Estocolmo.

Tudo o que sabemos sobre:
Bibi Anderson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.