Atriz Lupita Nyong'o tem medo da ressaca pós-Oscar 2014

Papel no filme de Steve McQueen é o primeiro da atriz desde que saiu da escola de dramaturgia

Jessica Herndon, Associated Press

19 de fevereiro de 2014 | 22h47

Poucos dias antes da cerimônia do Oscar 2014, a atriz estreante Lupita Nyong'o está numa intensa preparação. Não para a festa, mas para voltar a viver uma vida normal. Depois do frenesi causado por sua performance em 12 Anos de Escravidão, ela só pensa em voltar para sua vida em Nova York.

“Mantive meu ritmo de descansar, beber água, comer bem e fazer exercícios, para que, quando tudo isso acabar, eu não tenho uma ressaca completa”, ela conta.

 

 

 

 

Lupita ainda não aceitou totalmente que sua vida pode nunca mais ser a mesma. “Tenho uma cabeça muito fechada”, justifica. Antes de dar vida à escrava Patsey no longa de Steve McQueen, era uma virtual desconhecida. Agora, como uma indicada ao prêmio de melhor atriz coadjuvante no Oscar 2014, foi projetada como uma estrela.

Quando recebeu a ligação de McQueen dizendo que havia sido chamada para o papel, Lupita conta que ficou extasiada. “Depois, entrei em pânico imediatamente. Fiquei muito, muito assustada.” Não é nenhuma surpresa: este é seu primeiro grande papel depois de sair da Yale School of Drama. Quando as filmagens começaram, porém, a atriz foi ganhando confiança.

De olho no que fará em seguida, ela se recusa a se estressar pensando que o próximo papel tem de igualar a este. “As expectativas são muito altas interna e externamente, mas eu não quero alimentar toda essa pressão. Fazer esse filme foi muito recompensador artisticamente, e é óbvio que quero experimentar esse tipo de realização criativa de novo, mas também sei que não posso simplesmente replicar isso. Quero ter uma experiência variada em minha carreira, e isso pode incluir alguns fracassos, o que é saudável.”

Na verdade, o próximo filme de Lupita será lançado nos Estados Unidos no dia 28 de fevereiro. Ela interpreta uma comissária de bordo no thriller Non-Stop, de Liam Neeson. “Era o que eu precisava fazer. O perfeito atídoto para 12 Anos de Escravidão. Um gênero totalmente diferente, com outras demandas, muito técnico e divertido.”

“É tudo muito estressante, com longas filas para falar com a imprensa. É difícil me orientar, mas vi rostos familiares, então foi menos desafiador.” A beleza e as ótimas escolhas de estilistas imediatamente a colocaram na lista de atrizes mais comentadas do tapete vermelho.

Do vestido Gucci que usou no Screen Actors Guild Awards ao Christian Dior do British Academy of Film and Television Arts, ela se tornou símbolo de elegância e bom gosto. Tanto que é a nova garota propaganda da Mui Mui. Para tanto, conta que comprou pilhas de revistas de moda para se preparar para ir a todos os eventos formais que estavam pela frente.

Não que ela não tenha sentido um pouco de medo para encarar alguns looks. “O vestido Ralph Lauren que usei no Globo de Ouro tinha uma capa”, diz, aos risos. “Era o máximo!”. Apesar de se destacar com o que escolhe usar, ela conta que não sente pressão para vestir algo que necessariamente seja comentado ao longo da semana. O mesmo vale para o Oscar, que acontece no dia 2 de Março.

“Acho bom que as pessoas estejam olhando para mim e me admirando, e talvez um sonho nasça dentro de alguém por conta da minha presença. Mas minha responsabilidade é continuar perseguindo meus objetivos.”

Tudo o que sabemos sobre:
Prêmio Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.