Jordan Strauss/AP
Jordan Strauss/AP

Atriz critica emissora ao vivo no tapete vermelho do Globo de Ouro

Debra Messing provocou polêmica ao discursar por igualdade de salários

O Estado de S.Paulo

07 Janeiro 2018 | 22h45

A atriz Debra Messing, que estrelou o remake de Dirty Dancing, além de séries como Will e Grace e Dirigindo no Escuro, de Woody Allen, criticou a emissora que transmite o tapete vermelho do Globo de Ouro ao vivo. 

Messing defendia o movimento Time's Up, que luta pelo fim dos abusos sexuais, e falava sobre igualdade de salários entre homens e mulheres quando usou de exemplo a demissão da apresentadora Catt Sadler, que trabalhava no canal E!.

+++Análise: No Globo de Ouro, todos queremos saber os vencedores, mas queremos ouvir os discursos

"Eu fiquei chocada ao ouvir que o E! não acredita em igualdade de salários entre seus apresentadores", afirmou Messing. Sadler revelou recentemente que recebia menos que seu colega Jason Kennedy. "É crucial começar a ter essa conversa", concluiu a atriz.

No tapete vermelho do primeiro do Globo de Ouro, a primeira grande premiação de Hollywood após os escândalos sexuais que vieram à tona na indústria cinematográfica nos últimos meses, as atrizes entraram vestidas de preto e acompanhadas por ativistas. Nas entrevistas, os discursos não se resumiram a trivialidades ou à divulgação de seus trabalhos mais recentes, mas assumiram um tom mais politizado. 

 

Mais conteúdo sobre:
cinema Globo de Ouro televisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.