Atores negros ganham vitrine na internet

Um catálogo on-line com currículos e fotos de atores e atrizes negros publicados gratuitamente. Esta é a proposta do Cidan, Centro Brasileiro de Informação e Documentação do Artista Negro, que lança hoje no Rio uma versão ampliada do seu site com tradução para inglês e francês e um CD-ROM com o banco de atores do site. O objetivo é apresentar os profissionais a produtores de cinema, teatro e TV do Brasil e de fora.Hoje contando com cerca de 400 atores de São Paulo, Rio e Salvador cadastrados, o Cidan foi criado em 1984 pela atriz Zezé Motta e pelo economista Jacques d?Adesky. A maioria dos atores cadastrados no site www.cidan.org.br é pouco conhecida do grande público. Mas um olhar atento vai encontrar por lá Ruth de Souza, Isabel Fillardis, Maria Ceiça e um punhado de outros famosos. "O ator conhecido dá legitimidade, mas os produtores de cinema e TV hoje querem os atores novos", diz Jacques d?Adesky.O economista e diretor do Cidan diz que o site da instituição tem ajudado atores brasileiros a emplacar filmes e anúncios fora do Brasil. A co-produção entre Brasil, França e Cabo Verde O Testamento do Senhor Nepomuceno é um exemplo. "Toda a parte brasileira do elenco foi contratada através do Cidan", afirma ele. A tradução de todo o conteúdo do site para inglês e francês foi motivada, segundo d?Adesky, por essa demanda de produtores estrangeiros.O trabalho do Cidan é semelhante ao de uma agência de atores qualquer. A diferença é que o serviço de divulgação é gratuito e a intenção é apenas divulgar nome, currículo e foto dos atores. Até o fim deste ano, d?Adesky promete incluir outra inovação no banco de atores do Cidan: o cadastramento automático pela internet, sem necessidade de enviar fotos e dados por correio à sede da entidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.