Atores de dramas têm mais chances de indicação ao Oscar

Estudo mostra que nomeação vai muito além da atuação, envolve também elenco, tema e roteiro do filme

08 Janeiro 2021 | 14h37

As nomeações para o Oscar 2008 serão anunciadas na terça-feira, 22, mas, no caso dos atores e atrizes, os nomes já foram escolhidos há meses. Essa foi a conclusão de um estudo que analisou todas as 1.394 nomeações desde 1927, realizado por sociólogos das Universidades de Harvard e da Califórnia Los Angeles (UCLA). As informações foram divulgadas pelo jornal The New York Times.   Os pesquisadores chegaram à conclusão de que os atores e atrizes que atuam em dramas têm mais chances de serem escolhidos dos que os atuam em comédias. Além disso, é interessante estar cercado de pessoas influentes e já ter sido indicado a algum Oscar anteriormente.  Os dois últimos fatores não favorecem os britânicos James McAvoy e Tom Wilkinson, que atuaram, respectivamente, em  Desejo e Reparação e Conduta de Risco e que aguardam a nomeação na próxima terça.   Para Julie Christie a história é outra: ela interpreta uma mulher que sofre de Alzheimer no filme Longe Dela. Um verdadeiro drama. Christie já ganhou o Oscar de melhor atriz pelo filme Darling, a que Amou Demais (1965), dirigido por John Schlesinger. A atriz também foi indicada ao prêmio outras duas vezes, o que lhe daria grandes chances.   "É surpreendente como muitas outras variáveis além do talento do profissional influenciam nas nomeações", disse Nicole Esparza, autor do estudo.   As chances de um ator ser indicado também estão ligadas ao elenco do filme, ao roteiro e ao diretor e não apenas à atuação em frente das câmeras.   Segundo os sociólogos, alguns fatores contribuem para que um ator ou atriz sejam indicados. Entre eles: os distribuidores e estúdios por trás dos filmes, o assunto da obra, o tamanho do elenco, o sexo da pessoa (as mulheres têm menos chances de serem indicadas), relação da pessoa com a indústria do cinema e nomeações passadas de pessoas do elenco, do diretor ou do escritor.  

Mais conteúdo sobre:
Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.