Ator de <i>Borat</i> na lista dos britânicos mais poderosos

Sacha Baron Cohen, criador do repórter cômico Borat, astro do filme Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América, figura na lista dos homens mais poderosos da Grã-Bretanha, apenas uma posição atrás do príncipe William. O comediante de 35 anos de idade estreou no 19.º lugar da lista anual elaborada pela revista GQ. A publicação disse que escolheu homens "responsáveis por determinar a estrutura e os rumos da nação" nos próximos 12 meses ou mais. Cohen recebeu o Globo de Ouro por sua atuação como o jornalista cazaque no filme, dirigido por Larry Charles e com a atriz Pamela Anderson no elenco. A produção desagradou às autoridades da ex-república soviética, segundo as quais os habitantes do país eram retratados, no filme, como preconceituosos, imbecis e primitivos. O comediante argumentou ter usado o personagem Borat com o intuito de chamar a atenção para os preconceitos existentes nos Estados Unidos. Na lista da GQ, Cohen aparece à frente de figuras como o diretor executivo da empresa BSkyB, James Murdoch, e do príncipe Charles, herdeiro do trono britânico. "Desde John Lennon que um artista inglês não produz um efeito semelhante sobre o mundo: George W. Bush (presidente dos EUA) recebeu informações sobre ele, o governo do Cazaquistão levantou-se contra ele e o filme Borat ficou em primeiro lugar nas bilheterias dos EUA no último outono", disse a revista. A GQ elegeu o ministro das Finanças da Grã-Bretanha, Gordon Brown, como o homem mais poderoso do país, à frente do primeiro-ministro Tony Blair. Mervyn King, presidente do Banco da Inglaterra, ficou em terceiro lugar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.